Londres, 18 abr (EFE) - Uma frase carinhosa escrita para a avó no caderno de uma criança de cinco anos ou uma fotografia junto a sua irmãzinha, a princesa Ana, a bordo do Britannia, em abril de 1954, são alguns dos documentos publicados agora por ocasião dos 60 anos do príncipe Charles da Inglaterra.

Para comemorar o aniversário, em 14 de novembro, a Coleção Real publicou uma biografia oficial ilustrada que acompanha uma exposição que será aberta no castelo de Windsor em 16 de maio.

O príncipe Charles e Ana da Inglaterra participaram da viagem inaugural do iate real Britannia e, ali, receberam a visita da rainha mãe, para a qual o duque da Cornualha pergunta solicito em uma carta se ela também tinha gostado de subir a bordo.

O documento, que termina com as palavras "Love from Charles" e com vários beijos coloridos, faz parte do livro, que retrata a vida oficial e familiar do príncipe de Gales com material selecionado da Coleção e dos Arquivos Reais e de sua própria coletânea particular.

O material abrange um longo período de sua vida.

Estão retratados sua infância e os anos letivos e universitários em Cambridge, onde estudou arqueologia e antropologia, sua posse como príncipe de Gales, seu fracassado casamento com Diana Spencer, o nascimento dos filhos do casal, William e Harry, e seu segundo e atual casamento com Camilla Parker-Bowles, duquesa da Cornualha.

Muitas das primeiras fotografias mostram o príncipe brincando com sua irmãzinha, e em uma delas as duas crianças aparecem limpando um bote salva-vidas a bordo do Britannia durante uma viagem real pelos países da Commonwealth entre 1953 e 1954.

Também foram incluídas no livro imagens de alguns de seus brinquedos favoritos, entre eles um vagão de trem com blocos de madeira e as palavras "Prince Charles Express" e um carrinho de pedais com o qual percorreu os longos corredores do Castelo de Windsor.

A coletânea possui algumas de suas pinturas favoritas da valiosíssima Coleção Real, entre elas obras de Van Dyck, Gainsborough, Winterhalter, Landseer e Zoffani, acompanhadas de seus comentários.

Incentivado por sua avó, Charles desenvolveu seu viés artístico, e hoje é um pintor apaixonado: o livro contém alguns exemplos.

Além disso, em 1985 o herdeiro do trono reintroduziu o costume de viajar com um artista em suas viagens ao exterior, e algumas das obras resultantes podem ser vistas agora. EFE jr/db

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.