Fotos de Eluana Englaro foram autorizadas pelo pai

Roma, 26 fev (EFE).- O pai de Eluana Englaro, a italiana que morreu em 9 de fevereiro após 17 anos em estado vegetativo, afirmou hoje, através de uma nota de seus advogados, que as fotos da filha na clínica onde foi desligada foram tiradas com sua permissão.

EFE |

Segundo informa hoje a imprensa italiana, os advogados de Giuseppe Englaro afirmam que "as fotos relativas a Eluana em Udine, onde estava internada, foram autorizadas no exercício do poder do tutor e, portanto, no exercício de um poder privado, com o único fim de documentação clínica e pela exigência de seu tratamento".

Esta nota chega um dia depois do anúncio de que a Procuradoria investiga o anestesista de Eluana, Amato De Monte, e dois jornalistas italianos em relação a fotos tiradas da italiana.

A Procuradoria afirmou que suspeita que podem ter cometido crime de inobservância do procedimento ditado pelas autoridades.

A nota dos advogados de Englaro afirma que as fotos são documentação coberta por estrita garantia de privacidade, por isso sua divulgação não tem "nenhum interesse público".

Os advogados dizem que deve permanecer proibida qualquer difusão ao público do material fotográfico, em qualquer forma como esta possa ser praticada.

As fotos foram tiradas de Eluana, que tinha 38 anos, em 8 de fevereiro. Um dia depois, a italiana morreu por desidratação, após quatro dias de suspensão da alimentação e da hidratação. EFE fab/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG