Bogotá, 6 jun (EFE).- O fotógrafo Antonello Zappadu, autor das imagens de convidados do primeiro-ministro da Itália, Silvio Berlusconi, na mansão do líder italiano na Sardenha, disse hoje que tem mais medo do chefe do Executivo do que da guerrilha colombiana.

"Eu tenho mais medo de Berlusconi do que da guerrilha (colombiana)", disse Zappadu à emissora colombiana "Caracol Radio", em entrevista por telefone da Itália.

Com 51 anos e casado há quatro com uma colombiana, com a qual tem dois filhos, Zappadu disse ser "um repórter gráfico", e não "um paparazzi", e que há três anos segue Berlusconi.

Zappadu disse que as fotos publicadas na quinta-feira pelo jornal espanhol "El País" são o produto de um trabalho que levou anos e do qual tem mais de 250 imagens.

O repórter disse que, com as fotografias, quer mostrar que Berlusconi usa recursos e aviões da Força Aérea da Itália para assuntos particulares, como o transporte de convidados pessoais a sua mansão na Sardenha, onde as fotos foram tiradas.

Zappadu disse que foi muito difícil seguir Berlusconi e que conseguiu tirar muitas fotos em várias de suas festas, em muitas das quais "aparecem pessoas nuas".

Denunciou que, na Itália, há problemas à liberdade de imprensa, já que "agora não se pode tirar fotos de nada, porque Berlusconi criou muitos obstáculos à imprensa italiana".

O fotógrafo italiano disse que, por enquanto, trabalha em seu país, onde a associação de jornalistas lhe deu apoio, mas, para o final do ano, poderia voltar à Colômbia.

Após a publicação das fotos, nas quais aparecem várias pessoas, entre elas várias mulheres seminuas, Berlusconi disse que "não há nenhum escândalo" nelas, mas que são "uma violação da intimidade e uma agressão escandalosa", pois foram tiradas em sua residência particular de Sardenha. EFE ocm/an

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.