Nova York, 13 abr (EFE).- A fotografia Nautilus Shell, de Edward Weston, foi vendida hoje por mais de US$ 1 milhão pela empresa Sothebys em Nova York, durante um leilão em que também era possível adquirir imagens de alguns dos principais representantes da história da fotografia.

A imagem, vendida por US$ 1.082.500, superou as previsões da casa de leilões, que tinha estimado o preço da obra de Weston (1886-1958) entre US$ 300 e US$ 500 mil.

Segundo a casa de leilões, "Nautilus Shell", que mostra uma reluzente casca de ovo de caracol de mar frente a um fundo totalmente escuro, exemplifica o ápice da carreira de Weston como fotógrafo, e é uma "referência" do modernismo na fotografia do século XX.

O segundo protagonista do dia foi um fotograma de Lászlo Moholy-Nagy (1895-1946), vendido por US$ 290.500 e que faz parte de uma série de fotogramas que o artista húngaro realizou na década de 1920.

A obra foi realizada sem usar uma câmara, pondo os objetos diretamente sobre uma folha de papel fotográfico para captar o movimento da composição.

Esta peça singular inclui notas do próprio autor em seu verso sobre como se realizou e sobre a procedência dos objetos.

Outra das obras destacadas na jornada foi uma impressionante imagem tirada pela fotógrafa Margaret Bourke-White (1904-1971), na qual se pode ver uma das gárgulas do edifício Chrysler de Nova York e que superou o preço estimado, estabelecido entre US$ 120 mil e US$ 180 mil.

A fotografia, adquirida por US$ 206.500, tem a assinatura da artista feita com pincel na margem, e foi tirada em 1930 a pedido da companhia Chrysler durante a construção do famoso arranha-céu onde Bourke-White, nascida no Bronx, abriu seu estúdio após abandonar Cleveland (Ohio).

A artista, conhecida por ser a primeira repórter ocidental a poder entrar na União Soviética, costumava subir até o nível onde se encontravam as gárgulas, aproximadamente 244 metros acima do chão, para tirar fotos da cidade durante o tempo que teve seu escritório no edifício.

Muito mais longe destes preços ficaram obras de fotógrafos reconhecidos como o americano Paul Strand (1890-1976), o francês Henri Cartier-Bresson (1908-2004) e o húngaro Gyula Halász, mais conhecido por seu pseudônimo Brassaï (1899-1984). EFE apt/pb

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.