Fortes tremores no Haiti causam danos e vítimas

Por Joseph Guyler Delva PORTO PRÍNCIPE (Reuters) - Um forte terremoto atingiu o Haiti nesta terça-feira, causando a queda de prédios na capital Porto Príncipe e deixando moradores sob os escombros.

Reuters |

Há dezenas de mortos e feridos sob os escombros, que bloquearam estradas na cidade.

O epicentro do tremor foi localizado dentro do território haitiano, a cerca de 16 quilômetros da capital, e teve profundidade de apenas 10 quilômetros.

O terremoto provocou a emissão de um alerta de tsunami para partes do Caribe, informou o Centro de Alerta para Tsunamis no Pacífico.

"Tudo começou a sacudir, as pessoas estavam gritando, as casas começaram a cair... é o caos total", disse o repórter da Reuters. "Vi pessoas sob os escombros, e pessoas mortas", acrescentou.

Um funcionário local para o programa norte-americano Food for the Poor informou ter visto a queda de um prédio de cinco andares em Porto Príncipe, disse à Reuters a porta-voz do grupo, Kathy Skipper.

Outra funcionária do grupo disse haver mais casas destruídas do que erguidas na rua Delmas, uma importante avenida da cidade.

Moradores em pânico tentavam desesperadamente resgatar pessoas sob os escombros ou buscavam por parentes desaparecidos.

"As pessoas estão gritando 'Jesus, Jesus' e correndo em todas as direções", disse o repórter da Reuters.

Um grande terremoto, de magnitude 7,0 ou maior, é capaz de provocar danos graves. O tremor foi seguido de dois tremores fortes, de magnitudes iniciais de 5,9 e 5,5.

Um alerta de tsunami para partes do Caribe, incluindo o Haiti, a República Dominicana, Cuba e Bahamas, foi emitido após o tremor.

O Haiti é o país mais pobre do Ocidente. O Brasil comanda cerca de 7.000 soldados da força de paz da Organização das Nações Unidas (ONU) no Haiti, enviada ao país em 2004, e tem cerca de 1.300 homens na região.

O Ministério da Defesa brasileiro informou não saber se o terremoto teria afetado as forças brasileiras no Haiti.

O Ministério de Relações Exteriores do Brasil disse à Reuters que o contato telefônico com representantes na capital haitiana está "muito difícil", mas que "vai tomar providências no sentido de verificar se há brasileiros (entre os mortos e feridos)".

A embaixada norte-americana em Porto Príncipe informou que telefones e celulares na capital não estão funcionando, afirmou o porta-voz do Departamento de Estado dos EUA, Charles Luoma-Overstreet.

O presidente norte-americano, Barack Obama, disse que "seus pensamentos em orações" estavam com o povo do Haiti. "Estamos monitorando a situação de perto e estamos prontos para ajudar as pessoas do Haiti".

(Reportagem adicional de Sandra Maler, Stacey Joyce e Hugo Bachega)

    Leia tudo sobre: haiti

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG