Fortes chuvas no Chile deixam pelo menos 3 mil desabrigados

Santiago do Chile, 1 set (EFE) - As fortes chuvas que afetam, há cinco dias, a região da Araucanía, cerca de 700 quilômetros ao sul de Santiago, deixaram, até agora, um morto, ainda não identificado, mais de três mil desabrigados e 11 mil pessoas isoladas no Chile. Segundo um relatório do Escritório Nacional de Emergência (Onemi), houve danos aos telhados de casas e a inundação de imóveis e de muitas estradas. As fortes precipitações geraram transbordamentos de rios e quedas de árvores que causaram interrupções em várias vias e deixaram isolados vários povoados. A diretora do Onemi, Carmen Fernández, confirmou que desde domingo há um alerta amarelo em parte da região, pois as chuvas não pararam. As últimas previsões do clima também não mostram melhoras e, por ali, é necessário reforçar ao máximo as medidas, disse Fernández. O maior número de desabrigados foi registrado na localidade de Carahue, com 2.500 pessoas afetadas pelo forte temporal que afeta a região da Araucanía, de importância agrícola e turística.

EFE |

Relatos feitos a partir desta zona informam que a maioria dos colégios suspendeu as aulas.

As localidades mais afetadas pelo temporal são Carahue, Imperial, Puerto Saavedra, Teodoro Schmidt, Puerto Gorbea e Curarrehue, onde foram instalados vários albergues, segundo o reporte do Onemi.

O relatório oficial informa que na localidade de Toltén transbordaram os rios Toltén e Pirén, o que afetou os setores de Frutillar, El Trome, Cudaco, Pirén, Pocoyán Bajo e El Arenal.

Já no setor urbano do município de Villarrica, caminhos e casas se inundaram por acúmulo de águas das chuvas, da mesma forma que no balneário de Lican Ray.

Em Carahue, o deslizamento de encostas de colinas deixou cinco imóveis destruídos e outros cinco danificados, indicou o relatório oficial.

Nesta segunda-feira, a entrada norte à cidade de Temuco, capital regional 673 quilômetros ao sul de Santiago, ficou bloqueada devido a deslizamentos que obstruíram o trânsito, informou à Agência Efe um morador local.

O Onemi anunciou que foram enviadas duas unidades de desdobramento territorial que estão apoiando o grupo regional do organismo, além de equipamentos e grupos para habilitar os albergues e reforçar a assistência às pessoas afetadas. EFE mw/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG