Autoridades calculam que 16 mil entre 17 mil pessoas permanecem presas em áreas inundadas

Pelo menos 150 pessoas morreram devido às devastadoras chuvas de monção que caem no Paquistão há três dias, concentradas sobretudo na província de Khyber-Pakhtunkhwa (noroeste do país), informou à agência Efe uma fonte oficial.

O diretor de operações da Autoridade Nacional de Gestão de Desastres (NDMA), Amre Siddique, contatado por telefone nesta sexta-feira, afirmou que nas últimas horas foram resgatados 150 corpos, e acrescentou que há informações sobre 83 pessoas desaparecidas e 96 feridas.

A NDMA calcula que entre 16 mil e 17 mil pessoas permanecem presas em áreas inundadas, e embora tenha garantido que não sofrem "perigo imediato", estão completamente isoladas.

Siddique explicou que o resgate está sendo "muito difícil" pelas complicações de acesso das equipes para chegar até as zonas inundadas, pois a corrente de água é "muito forte" e muitas estradas e pontes estão danificados.

Siddique previu uma melhora das condições climatológicas durante o dia nesta sexta-feira, quando entra em ação uma força especial de resgate para trabalhar de forma conjunta com o Exército. Centenas de milhares de pessoas foram afetadas pelas inundações no noroeste do Paquistão.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.