Forte terremoto na China mata ao menos 10 mil pessoas

SICHUAN, China - O terremoto de 7.8 graus na escala Richter que atingiu a província de Sichuan, localizada na região sudoeste da China, matou ao menos 10 mil pessoas nesta segunda-feira. O número foi divulgado pelo governo central, citado pela agência estatal de notícias Xinhua.

Redação com agências internacionais |

Na província de Sichuan, cerca de 900 alunos foram soterrados (Foto: Reuters)

O governo informou ainda que os feridos passam de 10 mil. Cerca de 900 estudantes foram soterradas em uma escola - 50 corpos já foram resgatados. O governo chinês enviou tropas ao local.

O tremor, registrado às 14h28 (3h28 de Brasília), teve seu epicentro a 92 quilômetros da capital da província, Chengdu. Cerca de 80 por cento dos prédios da região autônoma de Beichuan Qiang, no sudoeste da Província de Sichuan, desabaram

O primeiro-ministro chinês, Wen Jibao, descreveu o terremoto como um "desastre" e pediu "calma" à população. "Diante do desastre, o mais importante é a calma, a confiança", declarou o chefe de governo no avião que o levava a Sichuan. "Estamos diante de um desastre importante", acrescentou.

Wen disse ainda que o governo central pediu aos governos locais e moradores que coordenem as tarefas de resgate.

A televisão estatal mostrou multidões nas ruas da capital de Sichuan, Chengdu. Todos pareciam ilesos, mas uma mulher sangrava na cabeça.


Chineses correm pelas ruas do centro de Chengdu após o tremor (Foto: AFP)

Uma autoridade do órgão sismológico disse que as linhas telefônicas do condado de Wenchuan, em Sichuan --o epicentro do terremoto--, foram completamente cortadas e houve relatos de danos a prédios em condados vizinhos, o que indica que pode ter ocorrido mortes na área.

Pequim, Xangai, Hong Kong e Bangcoc

O presidente Hu Jintato ordenou um 'esforço geral' para resgatar as pessoas afetadas pelo terremoto, disse a Xinhua.

Em Pequim, que fica a 1,5 mil quilômetros de Chengdu, há relatos de que alguns prédios tremeram por cerca de dois minutos. O tremor também foi sentido em Hong Kong, Bangcoc e Xangai.

A torre Jinmao, em Xangai, foi esvaziada, assim como os demais prédios mais altos da China, durante o terremoto e os tremores que o seguiram. Os trabalhadores puderam voltar mais tarde.

O estudante brasileiro Vitor Alessandri, que mora em Xangai, contou por telefone que houve procedimento de evacuação por questões de segurança, mas que não sentiu o tremor.

O tremor foi sentido em Bangcoc, capital da Tailândia, que fica a cerca 3.300 quilômetros de distância. Lá, os prédios balançaram por vários minutos.

Na cidade de Wuhan, as pessoas correram para as ruas e pelo menos um prédio caiu, segundo um estudante universitário.


Mãe carrega filha após escola ser totalmente destruída (Foto: Reuters)

'Todos os prédios balançavam para frente e para trás', disse ele, por telefone.

'Sentimos um tremor contínuo por cerca de dois ou três minutos', disse o funcionário de um escritório. 'Todas as pessoas correram para baixo. Ainda sentimos leves tremores.'

Um empregado de um jornal local de Mianyang disse que houve vários terremotos. A USGS, agência sismológica norte-americana, disse que houve um impacto posterior de magnitude 6 às 3h43 quase no mesmo local e outro às 4h34, de magnitude 5,4.

Terremotos acontecem com freqüência na China. Em março, um tremor de 7,2 pontos atingiu a província de Xinjiang, no oeste do país.

(Com informações da Reuters, AFP, AP e da BBC Brasil)

Entenda mais:

Veja também:

Leia mais sobre: terremoto  - China

    Leia tudo sobre: china

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG