Forte terremoto deixa mais de 300 mortos no Chile

O forte terremoto que atingiu o centro-sul do Chile neste sábado deixou mais de 300 mortos, segundo o Escritório Nacional de Emergência do país. Por enquanto, não há informação de que brasileiros tenham morrido no tremor, o maior do país dos últimos 50 anos.

iG São Paulo |

  • AP
    Chilenos passam por prédio destruído em Concepción

    Chilenos passam por prédio destruído em Concepción

    Segundo a presidente do Chile, Michelle Bachelet, o terremoto afetou ao menos 2 milhões de pessoas. "Ainda não é possível conhecer completamente a magnitude desta catástrofe", disse ela. "Teremos à frente uma árdua tarefa tanto para enfrentar a emergência como para a reconstrução".

    O tremor de 8.8. graus de magnitude provocou um tsunami no Oceano Pacífico, o que deixou países asiáticos, a América do Sul e o Havaí em alerta.

    No Chile, o tsunami deixou cinco mortos e 11 desaparecidos na ilha de Robinson Crusoé e outros três mortos no arquipélago de Juan Fernández.

    O Havaí foi atingido pelo tsunami no início da noite de sábado (horário de Brasília), mas as ondas chegaram a uma altura máxima de um metro, menos que o esperado pelas autoridades (2,4 m). Por volta das 21h15, o alerta para o Havaí foi cancelado .

    Neste momento, o alerta de tsunami está em vigora para apenas dois países: Japão e Rússia. A agência de meteorologia japonesa emitiu um alerta para ondas de três metros na costa norte e alertou moradores para se refugiarem em terrenos elevados.

    Na Rússia, o alerta de tsunami levou à evacuação dos habitantes do litoral da península de Kamtchatka e das Ilhas Sakhalinas, onde são esperadas ondas de até dois metros.

    Destruição

    O terremoto teve seu epicentro a 35km de profundidade, na região de Bio Bio, a cerca de 320km ao sul de Santiago. Na capital chilena, o tremor arrancou varandas de edifícios, derrubou pontes, deixou fábricas em chamas e moradores desabrigados e sem eletricidade e sistema telefônico. Além disso, pelo menos três hospitais desabaram.

    Em Concepción, cerca de 400 quilômetros ao sul de Santiago, o edifício do governo local desmoronou e pacientes estavam sendo transferidos dos hospitais. Fendas se abriram nas ruas da cidade, uma das mais atingidas pelo terremoto. "Há uma enorme quantidade de danos que não sabemos a exata dimensão", afirmou a presidente do Chile, Michelet Bachelet.

    "Interminável"
    Moradores das zonas atingidas pelo terremoto descreveram o tremor como "interminável". Na capital chilena, relatos dão conta de que os prédios tremeram entre 10 e 30 segundos.

    "Eu vi os carros caindo e não sabia o que fazer. Estava sozinho aqui", disse Mario Riveros, segurança de uma fábrica em Santiago, parado junto a uma ponte que desabou. "Me deu vontade de chorar", acrescentou.

    Elba Carrizo, 81 anos, disse que se salvou porque se abrigou embaixo de uma mesa. "Tudo veio para cima, todas as portas do edifício estavam quebradas", disse ela, que conseguiu sair de seu apartamento antes que o prédio desabasse, no bairro de classe média de Maipu.
    Depois do terremoto, mais de 60 tremores de intensidade variável foram registrados em todo o país, levando as autoridades chilenas a pedir aos moradores que permaneçam em casa.
    AP
    Ponte próxima à cidade de Camarico ficou destruída

    Ponte próxima à cidade de Camarico ficou destruída

    O aeroporto internacional da capital chilena foi fechado e deve permanecer inoperante até às 9h de segunda-feira . Os voos, quase todos de longa distância e na maioria procedentes de cidades dos Estados Unidos e Europa, são desviados para aeroportos na Argentina, principalmente para a cidade de Mendoza.

    No Brasil, as companhias aéreas TAM e Gol informaram que cancelaram os voos com destino a Santiago. Segundo o chefe do aeroporto, Eduardo del Canto, as portas do terminal estão quebradas e as paredes, rachadas. As pistas não foram abaladas, mas sem o prédio não é possível operar, informou.

    Brasileiros no Chile

    Muitos brasileiros que estão no Chile relataram momentos de tensão. Morador de Embu (SP),  Claudio Dias  contou que ele e a mulher estavam dormindo em um hotel em Santiago quando o tremor os acordou. "A sensação era de que uma enorme locomotiva estava passando por cima do telhado, provocando um violento tremor", contou.

    Johanna Helm , arquiteta de Porto Alegre (RS), decidiu se preparar para os abalos que se seguiriam. "As mochilas ficaram ao lado da porta, com telefones, dinheiro, água, tudo o que fosse necessário caso acontecesse algo mais grave depois", afirmou.

    De acordo com o Ministério das Relações Exteriores (MRE), não há informações sobre brasileiros mortos ou feridos na tragédia. O terremoto, porém, provocou abalos no prédio da embaixada brasileira. Localizado no centro histórico de Santiago, o prédio  oferece risco de desabamento , por isso todos os funcionários foram retirados do local.

    Em nota, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse que manifesta "profunda preocupação com impacto do terremoto que abalou o Chile" e disse que "expressa sua disposição de prestar toda ajuda necessária ao país e ao povo chileno".

    Reuters
    Homem carrega seus pertences em Talca, no Chile

    Homem carrega seus pertences em Talca, no Chile

    Na tarde deste sábado, um avião da Força Aérea Brasileira (FAB) decolou de Brasília para Santiago levando autoridades do governo chileno. Entre eles está o subsecretário de Justiça do Chile, Jorge Toledo.

    Segundo a FAB, brasileiros poderão ser retirados do Chile neste avião, que não transporta ajuda. Por enquanto, porém, não há registro de passageiros.

    Reflexos no Brasil

    Moradores de cidades brasileiras também sentiram os efeitos do terremoto no Chile. O Corpo de Bombeiros e a Defesa Civil de São Paulo e Paraná receberam chamados durante a madrugada para verificar a ocorrência de pequenos tremores. Não houve registro de danos ou vítimas.

    Segundo informações dos Bombeiros de São Paulo, moradores de Tatuapé e Mooca, na zona leste; Bela Vista, na região central da cidade; e da avenida Paulista relataram terem sentido tremores.

    No Paraná, o tremor foi sentido principalmente na cidade de Cascavel, no oeste do Estado, a aproximadamente 2,3 mil quilômetros do Chile. O Corpo de Bombeiros do município recebeu cerca de 50 ligações de pessoas da região central que mostravam-se muito assustadas.

    Morador de Porto Alegre, Jorge Lewis contou ao iG que sentiu o tremor em sua casa de veraneio no minicípio de Nova Tramandaí (RS). Ele e a mulher acordaram ao ouvir um barulho dentro da piscina. "A visão era incrível: a água se mexia toda sozinha, formava ondas, batia na lateral da piscina e era jogada fora com uma força que jamais vimos", relatou.

    "Gigantesco"

    O terremoto que atingiu o Chile foi muito mais poderoso que o de 7 graus de magnitude que devastou o Haiti em 12 de janeiro. O maior tremor ocorrido no Chile no século 20 teve magnitude de 9.5 e atingiu a cidade de Valdívia, em 1960, deixando 1.655 mortos.

    Para o sismólogo britânico Roger Musson, o terremoto deste sábado foi "gigantesco". "Qualquer movimento acima de oito graus é um grande terremoto", acrescentou.



    Com BBC, Reuters e AP

    Leia também:

    Leia mais sobre terremoto

    Leia tudo sobre: chileterremoto

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG