Cairo, 2 jan (EFE).- A Polícia do Egito realizou hoje um grande desdobramento no Cairo para frustrar os protestos convocados na saída das mesquitas, após as orações da sexta-feira, em solidariedade com os palestinos da Faixa de Gaza.

Em uma das mesquitas mais importantes, a de Al Fattouh, policiais antidistúrbios foram desdobrados nas imediações para controlar o acesso dos fiéis e evitar a entrada de ativistas da organização Irmãos Muçulmanos, segundo testemunhas.

"Foi permitido a poucos ter acesso à mesquita para as orações da sexta-feira, enquanto as ruas dos arredores ficaram fechadas pelas forças de segurança", disse à Agência Efe uma testemunha, que preferiu manter em reserva sua identidade.

Os Irmãos Muçulmanos, um agrupamento ilegal que tem um quinto das cadeiras do Parlamento como legisladores independentes, convocou várias manifestações desde que Israel começou a bombardear Gaza, no sábado passado.

Para hoje tinha citado os muçulmanos para que manifestassem na saída de cada mesquita. O grupo denunciou uma onda de detenções entre seus seguidores para evitar que acontecessem estes protestos.

Da mesma forma que nas cercanias da mesquita do Fatah pôde ver-se hoje nas ruas do Cairo um forte desdobramento de policiais antidistúrbios, em alguns lugares da cidade foram registrados choques entre manifestantes e agentes de segurança.

Estes confrontos foram registrados, entre outras áreas, nas ruas adjacentes à mesquita do Fatah. Várias pessoas ficaram feridas, segundo testemunhas, e vários automóveis sofreram avarias durante os protestos.

A Polícia também controlou o acesso até a mesquita de Al Azhar, no centro velho da capital, um dos centros religiosos mais importantes do Oriente Médio.

Fontes dos serviços de segurança disseram à Efe que ao longo do dia de hoje foram detidas cerca de 350 pessoas nas ações policiais para evitar estas manifestações. EFE nq/ma

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.