Foro de São Paulo ajudou a democratizar esquerda latino-americana, diz Lula

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva destacou, neste sábado, em Lima, a importância do Foro de São Paulo - criado na década de 1990 com os partidos progressistas da América Latina e, inclusive, com as guerrilhas - para a democratização da esquerda latino-americana.

AFP |

"Esse fórum, que nós criamos, foi educando a esquerda a compreender que existia a possibilidade de disputar eleições e ganhar pela via democrática", disse Lula, em um seminário de empresários em Lima.

O Foro de São Paulo se reuniu, pela primeira vez, em 1990, convocado pelo PT, congregando diferentes partidos, grupos, guerrilhas e outras organizações ligadas à esquerda.

"Há 18 anos, em quase todos os países da América do Sul, havia correntes políticas que defendiam que a única possibilidade de chegar ao poder era pela luta armada", lembrou Lula. Nesse contexto, "em 1990, nós criamos o Foro em São Paulo, onde chamamos toda a esquerda latino-americana para participar", completou.

Lula reconheceu que, em 1985, ele mesmo considerou que "não era possível chegar ao poder pela eleição direta". Quatro anos depois, contudo, provou-se o contrário, quando conseguiu 46% dos votos no segundo turno da eleição presidencial de 1989, sendo derrotado por Fernando Collor de Melo.

"Esse resultado eleitoral permitiu que convencêssemos um amplo setor da esquerda da América Latina de que existia a possibilidade de se organizar, competir, ganhar (eleições) e governar", disse Lula.

Em 1990, a primeira reunião do Foro de São Paulo foi realizada com o nome de Encontro de Partidos e Organizações de Esquerda da América Latina e do Caribe.

Entre seus criadores, estão o atual presidente Lula e várias organizações, como a Frente Ampla do Uruguai, o Partido Comunista Cubano, a Frente Sindicalista da Nicarágua e o PT brasileiro.

Participaram do evento as guerrilhas colombianas Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) e Exército de Libertação Nacional (ELN), o partido socialdemocrata venezuelano Ação Democrática (AD), que depois foi derrotado nas eleições pelo presidente Hugo Chávez, entre outros.

Em 2005, após anos de atividade muito moderada, o Foro de São Paulo fez uma grande reunião na cidade fundadora, para comemorar seus 15 anos, assim como a chegada de vários partidos de esquerda ao poder na região. O próprio Lula assistiu ao encontro.

ym/tt

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG