Ação foi a maior desde que Exército turco lançou atividades além da fronteira na semana passada, em resposta ao ataque do grupo curdo

Caças turcos atacaram alvos de militantes curdos no norte do Iraque durante a noite e cerca de 500 soldados cruzaram a fronteira com veículos blindados, informaram militares e fontes de segurança à agência Reuters nesta terça-feira.

Tropas turcas patrulham região de Hakkari, no sudeste do país (19/10)
AFP
Tropas turcas patrulham região de Hakkari, no sudeste do país (19/10)

As forças turcas avançaram em direção a um acampamento do grupo armado Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK) em Haftanin, conhecido como "Áreas de Defesa de Medya", a cerca de 20 km do posto fronteiriço de Habur e ao norte da cidade de Dahuk.

As fontes descreveram a ação como a maior atividade militar na região desde que o Exército turco lançou atividades além da fronteira na semana passada, em resposta ao ataque do PKK contra as forças turcas que matou 24 soldados e feriu outros 18 em Hakkari.

Caças bombardearam alvos do PKK em Haftanin e Hakurke, segundo fontes, que acrescentaram que os tanques e veículos blindados cruzaram a fronteira norte do Iraque na segunda-feira. Acredita-se que várias centenas de combatentes do PKK estejam instalados em bases em Haftanin.

O isolamento das posições dos acampamentos e as complicações do terreno tornam difícil avaliar quanto as forças turcas tinham avançado, mas os militantes relataram o início de confrontos. "Cerca de mil soldados turcos invadiram hoje a aldeia de Haftanin, apoiados por aviões de combate turcos e helicópteros", informou o porta-voz do PKK Roj Welat.

"Houve confrontos entre tropas turcas e os combatentes do PKK, que tentaram impedir as forças turcas", disse ele. Não houve relatos de vítimas.

Haftanin fica mais a oeste do que a região do Vale do Zab, na fronteira com Hakkari, onde ocorreram as operações militares turcas na semana passada. Milhares de combatentes do PKK estão baseados nas montanhas do norte do Iraque, de onde lançam ataques contra forças turcas no sudeste da Turquia.

Segundo um morador, cerca de mil soldados turcos foram localizados em torno da aldeia de Ure, a menos de 5 km da fronteira turca e cerca de 50 km a oeste de Haftanin. Ure é um distrito de Zakho, na província Dahuk.

A testemunha disse que as tropas turcas entraram na vila de manhã e montaram um cerco ao seu redor, mas não houve confrontos. Ele disse que os soldados carregavam fuzis e avançavam a pé, sem veículos militares à vista. "Eles só se espalharam ao redor da aldeia. Estamos preocupados. Não sabemos o que vai acontecer. Estamos em nossas casas com medo de sair", disse a fonte, pedindo anonimato.

A agência de notícias Firat, próxima ao PKK, as tropas turcas caíram em uma emboscada dos rebeldes curdos. Um comunicado do PKK enviado à agência Efe confirma a entrada da força turca. "De acordo com relatórios recebidos daquela região, começaram os primeiros combates entre a guerrilha e o exército do colonizador Estado turco", afirma o grupo, considerado terrorista pela União Europeia e pelos Estados Unidos.

Ataques aéreos turcos mataram entre 250 e 270 militantes curdos, feriram 210 e destruíram depósitos de armas no norte do Iraque desde 17 de agosto, de acordo com a emissora de notícias NTV, citando o chefe das Forças Armadas da Turquia, general Necdet Ozel.

A reação de Ancara a um dos mais mortais ataques contra suas forças de segurança em um conflito que começou há três décadas alimentou especulações de que a Turquia poderia decidir-se por uma incursão com força total para liquidar os campos do PKK no norte do Iraque.

Mais de 40 mil foram mortos desde o início do conflito em 1984. Os Estados Unidos, a União Europeia e a Turquia consideram o PKK como uma organização terrorista.

Com Reuters e EFE

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.