POTI, Geórgia (Reuters) - A Geórgia acusou as forças russas na terça-feira de entrar no porto de carregamento de petróleo de Poti, no mar Negro, e deter 20 autoridades policiais. Eles entraram no porto civil e chutaram todos para fora, disse o porta-voz do Ministério do Interior da Geórgia, Shota Utiashvili. Os russos prenderam os seguranças do porto, 20 deles. Eles são policiais, disse.

Em Moscou, o Estado Maior confirmou em um informe diário que suas forças prenderam 20 georgianos 'fortemente armados' em Poti. De acordo com o comunicado, os georgianos estariam viajando em cinco veículos Hummer e traziam riscos à segurança.

Um cinegrafista da Reuters viu diversos homens com vendas nos olhos sendo colocados em veículos blindados da Rússia, que seguiam para a cidade ao leste de Senaki.

O cinegrafista contou vinte veículos. Ele não pôde confirmar se os homens detidos eram policiais. Mais tarde, ele relatou uma série de explosões em uma base militar em Senaki, o que lançou nuvens de fumaça ao céu.

Senaki e Poti, que é a passagem mais importante de bens para os Estados caucasianos do Azerbaijão e Armênia, além da Ásia Central, estão a centenas de quilômetros da Ossétia do Sul, região separatista que despertou o conflito entre Tbilisi e Moscou.

Os georgianos se opõem à presença militar russa em lugares como Poti e dizem que isto prova que Moscou não está querendo apenas proteger a Ossétia do Sul e sim desarticular a economia e a infra-estrutura do país.

ELIMINAçãO DE ARMAS

No sábado, testemunhas viram as forças russas carregando engradados e equipamentos em caminhões e helicópteros, do porto de Poti e do aeroporto vizinho.

Os russos também estariam desmantelando instalações militares e depósitos de armamentos dentro do território georgiano.

Na terça-feira, o cinegrafista da Reuters disse ter visto russos saqueando uma residência do governo georgiano na cidade de Zugdidi, a nordeste de Poti, perto da fronteira com a Abkházia, outra região separatista apoiada por Moscou.

Um comboio de tanques e veículos armados russos deixou a cidade de Gori nesta terça-feira. As autoridades russas afirmaram que este é o começo de uma retirada geral exigida pelos Estados Unidos e seus aliados da Otan.

Não ficou claro se outras unidades russas também sairão de suas posições dentro da Geórgia.

A Rússia fez ataques aéreos, além de atravessar a fronteira com a Geórgia com tropas e tanques, no dia 7 de agosto, para repelir uma ofensiva militar georgiana para retomar a capital da Ossétia do Sul.

(Por Matt Robinson)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.