Forças iranianas impedem serviço em memória a Montazeri

TEERÃ (Reuters) - Forças de segurança iranianas enfrentaram-se com pessoas que lamentavam a morte do Grande Aiatolá Hossein Ali Montazeri na cidade de Zanjan, no noroeste do país, segundo um site reformista. O site Jaras disse que algumas pessoas estavam feridas e que algumas foram presas quando forças de segurança agiram para impedir serviços em memória ao clérigo dissidente, que foram proibidas. Montazeri morreu no último sábado.

Reuters |

"Um serviço em memória a Montazeri marcado para a mesquita da cidade de Zanjan foi cancelado como resultado da proibição", segundo o site Jaras.

As autoridades locais não haviam comentado o assunto.

Na quarta-feira, uma autoridade iraniana negou relatos de sites da oposição sobre enfrentamentos similares na cidade central de Isfahan, acusando a mídia estrangeira de "fazer guerra psicológica" contra o sistema teocrático ao publicar esses relatos.

O Jaras citou uma testemunha ocular que disse ter visto os apoiadores de Montazeri terem se decidido a prestar homenagem ao clérigo na rua porque as portas da mesquita estavam fechadas por causa da presença de forças de segurança iranianas no local.

"Mas as forças de segurança tentaram impedir isso também e dispersar a aglomeração", disse o Jaras. O site também informou que várias pessoas "foram gravemente feridas".

Apoiadores de Montazeri repetiam slogans antigoverno como "Oh, Hossein, Mirhossein", em referência ao líder da oposição Mirhossein Mousavi. Diziam também "Montazeri, parabéns pela sua liberdade", e "abaixo o ditador," segundo o Jaras.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG