As forças de segurança indianas prenderam três extremistas, um deles de nacionalidade paquistanesa, em um dos hotéis atacados em Mumbai na quarta-feira, anunciou nesta quinta a agência Press Trust of India.

Citando fontes oficiais, a agência afirma que as prisões foram feitas dentro do hotel Taj Mahal, um dos alvos dos atentados coordenados perpetrados ontem por terroristas islâmicos na capital financeira da Índia.

O militante paquistanês preso seria Ajmal Amir Kamal, morador de Faridkot, Multan, no Paquistão.

A fonte afirma ainda que os três extremistas pertenceriam à organização Lashkar e Taiba, grupo baseado no Paquistão conhecido por um violento ataque contra o Parlamento indiano em 2001.

Kamal teria dito às autoridades que o grupo de 12 militantes chegou a bordo de um navio mercante, tendo desembarcado a 10 milhas náuticas de distância das águas indianas e seguido viagem até Mumbai em uma lancha.

O primeiro-ministro indiano, Manmohan Singh, havia dito que os terroristas teriam vindo "de fora do país".

O governo do Paquistão negou veementemente qualquer envolvimento nos atentados, que deixaram pelo menos 125 mortos e mais de 300 feridos.

bur-sas/ap

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.