Forças de segurança do Irã entram em choque com manifestantes, diz oposição

TEERÃ - Forças do governo do Irã entraram em confronto com seguidores do aiatolá Hossein Ali Montazeri em duas cidades nesta quarta-feira, informou um site oposicionista iraniano. Se confirmados, os incidentes sinalizam um aumento na tensão no Irã, seis meses depois da polêmica eleição presidencial que mergulhou a República Islâmica na pior crise interna desde sua fundação, em 1979.

Reuters |


Segundo o site Jaras, confrontos esporádicos começaram na noite de terça-feira em Najafabad (cidade natal de Montazeri, que morreu no sábado) e ainda continuavam nesta quarta-feira. "A situação é tensa na cidade", diz o site. "As pessoas estão gritando slogans contra o governo."

O Jaras disse que houve confrontos também na cidade vizinha, Isfahan. Outro site reformista, o Parlemannews, afirmou que pelo menos 50 oposicionistas, inclusive quatro jornalistas, haviam sido presos durante os confrontos em Isfahan, uma das maiores cidades do Irã.

De acordo com o Jaras, uma outra multidão havia se formado em Isfahan para as celebrações do terceiro dia da morte do aiatolá. "A polícia disparou gás lacrimogêneo para dispersar as pessoas. Muita gente ficou ferida e algumas foram presas", disse o site.

De acordo com esse relato, agentes à paisana cercaram a casa de outro clérigo reformista, o aiatolá Jalaleddin Taheri, também em Isfahan. Não foi possível verificar de modo independente os relatos vindos de Isfahan e Najafabad, já que o governo proíbe a imprensa estrangeira de cobrir manifestações.

A imprensa oficial do Irã disse que houve manifestações pró-governo na terça e quarta-feira em Qom. A agência semioficial de notícias Fars ouviu do chefe de polícia Esmail Ahmadi-Moqadam que a oposição reformista enfrentará um "feroz" confronto se continuar com suas atividades "ilegais".

Montazeri, que morreu na noite de sábado aos 87 anos, era tido como o "líder espiritual" do movimento reformista no Irã. Seu funeral, na cidade de Qom, atraiu milhares de pessoas , que gritavam palavras contra o governo.

A oposição acusa o governo de ter fraudado a reeleição do presidente Mahmoud Ahmadinejad. Apesar da repressão dos últimos meses, os protestos continuam.

A morte de Montazeri ocorre às vésperas da importante celebração xiita da Ashura, no dia 27, uma data que a oposição costuma aproveitar para se fazer ouvir.

Leia também:


Leia mais sobre Irã

    Leia tudo sobre: irã

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG