Forças de segurança dispersam marcha pró-Zelaya em Honduras

TEGUCIGALPA - Forças de segurança de Honduras dispersaram nesta quarta-feira uma grande marcha a favor do presidente deposto Manuel Zelaya com gases lacrimogêneo e outros projéteis, disse uma testemunha da Reuters.

Redação com agências internacionais |

Reuters
Hondurenho reage à bomba de gás lacrimogênio lançada pela polícia

Hondurenho reage à bomba de gás lacrimogênio lançada pela polícia

Zelaya está refugiado na embaixada brasileira em Tegucigalpa. Policiais e militares perseguiam os manifestantes em ruas da capital hondurenha, que se defendiam atirando pedras. Um funcionário da Cruz Vermelha disse que até o momento não havia informações de feridos.

Nesta quarta-feira, fontes oficiais informaram que um homem morreu durante confronto entre seguidores de Zelaya e a polícia, ocorrido na noite de terça. O chefe de polícia José Danilo Orellana confirmou a morte, embora não tenha fornecido mais informações sobre a identidade da vítima.

Ele apenas indicou que a morte ocorreu em um bairro, durante uma manifestação de seguidores do presidente (Manuel) Zelaya, que arrombaram um supermercado para roubar. O policial afirmou também que algumas pessoas foram presas durante o conflito, mas não soube informar o número.  

Toque de recolher

Nesta quarta-feira, o governo interino de Honduras anunciou a suspensão temporária do toque de recolher imposto no país inteiro desde a última segunda-feira, quando Zelaya voltou a Tegucigalpa.

Segundo o governo, a medida tinha o objetivo de permitir que a população comprasse alimentos em supermercados e vá até agências bancárias. Porém, sete horas depois o toque de recolher foi restabelecido por tempo indeterminado.

AP
Manifestante pró-Zelaya joga pedra em policiais nesta quarta-feira

Manifestante pró-Zelaya joga pedra em policiais nesta quarta-feira

Embaixada cercada

Nesta quarta-feira, soldados e policiais antimotim hondurenhos cercaram novamente a embaixada brasileira na capital Tegucigalpa, onde o presidente deposto Manuel Zelaya está refugiado, no que ameaça se tornar uma longa disputa que deve agravar a crise do país.

Centenas de efetivos de segurança, alguns mascarados e outros portando armas automáticas, cercaram uma área ao redor do prédio da embaixada do Brasil onde Zelaya se refugiou com a família e um grupo de 40 partidários.

Leia também:


Leia mais sobre Honduras

    Leia tudo sobre: honduraszelaya

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG