Forças de segurança de Israel estão em alerta perante celebração da Nakba

Celebração lembra a expulsão e usurpação palestina com a criação em 1948 do Estado de Israel

EFE |

A Polícia, o Exército e outras forças de segurança de Israel, aumentaram neste domingo seu nível de alerta por causa da celebração por parte dos palestinos da Nakba (Catástrofe), que lembra a expulsão e usurpação palestina com a criação em 1948 do Estado de Israel.

São esperadas manifestações, conferências e diferentes eventos tanto em Israel e nos territórios palestinos (onde as forças de segurança também estão em alerta), como em países vizinhos como Líbano, Egito e Jordânia.

O Exército israelense ordenou o fechamento das passagens fronteiriças com a Cisjordânia da meia-noite de ontem até a de hoje.

Os palestinos que têm permissões para trabalhar ou estudar em Israel não poderão atravessar os postos de controle militares, nos quais unicamente se permitirá a passagem a pessoas que necessitem atendimento médico urgente, trabalhadores humanitários e jornalistas.

Na Cisjordânia haverá manifestações grandes, entre outras, nas cidades de Ramala, Hebron, Nablus e Belém, informou o serviço de notícias "Ynet".

Ao meio-dia, soará uma sirene durante 63 segundos para lembrar os anos que transcorreram desde a criação do Estado judeu.

Também haverá manifestações na Faixa de Gaza, as principais na localidade de Beit Hanoun, norte do território, e Rafah, na fronteira com o Egito.

Esta ocasião é a primeira a ser realizada a Nakba após a aprovação em Israel da conhecida como "lei da Nakba", que proíbe comemorar esta ocasião em instituições públicas do país, como prefeituras de cidades e povoados árabes e escolas, sob ameaça de perder o financiamento público.

Por este motivo, espera-se que aconteçam menos atos e manifestações que outros anos na Galiléia e outros lugares de Israel com maioria de população árabe.

    Leia tudo sobre: ISRAELPALESTINOS

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG