Em menos de uma semana, combates provocaram a morte de 29 pessoas

Quinze mulheres rebeldes curdas morreram neste sábado em combates com as forças de segurança no sudeste da Turquia, anunciou o ministro do Interior. Os confrontos ocorreram numa zona rural da província de Bitlis, uma das zonas da rebelião armada do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK), segundo um comunicado difundido pela agência de notícias oficial Anatolia.

Leia também: Premiê turco lamenta morte de civis curdos em bombardeio

Fontes da segurança local no sudeste turco, zona povoada principalmente por curdos e campo de ação do PKK, informaram que o movimento separatista curdo dispõe de unidades de treinamento constituídas totalmente por mulheres e que foi uma dessas unidades que foi dizimada.

Sete policiais e seis rebeldes morreram durante uma importante operação que durou três dias e que terminou na sexta-feira nos arredores do Monte Cugi (sudeste), perto da fronteira iraquiana.

Em menos de uma semana, os combates provocaram a morte de 29 pessoas, 21 rebeldes e oito membros das forças de segurança, sinal de um aumento da violência com a chegada da primavera.

Os membros do PKK, entrincheirados em esconderijos situados na Turquia e no norte do Iraque, bombardeados regularmente pela aviação turca, aproveitam a temporada de degelo para infiltrar-se a partir do Iraque na Turquia e organizar novos ataques.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.