Forças de segurança da Nigéria invadem mesquita ocupada

Forças de segurança da Nigéria invadiram, na noite de quarta-feira, uma mesquita na cidade de Maiduguri, no norte do país, onde militantes de um grupo islâmico se refugiavam há dias. Há relatos de que vários militantes teriam sido mortos no ataque, que aconteceu depois da terceira noite de tiroteios.

BBC Brasil |

Muitos dos militantes fugiram e atacaram delegacias de polícia no caminho.

Informações vindas de Maiduguri apontam que os combates entre os soldados e os militantes teriam sido interrompidos e que as ruas da cidade estão calmas nesta quinta-feira.

O grupo, conhecido como Boko Haram, tem como objetivo derrubar o governo e impor a lei islâmica de forma mais rígida.

O ataque por forças de segurança aconteceu depois que mil soldados foram enviados à cidade.

Civis
De acordo com a repórter da BBC Caroline Duffield, que está em Lagos, capital da Nigéria, as autoridades acreditam que muitos dos militantes que fugiram podem ter se misturado à população local.

O governo do Estado de Borno afirmou que qualquer pessoa que oferecer refúgio aos membros da Boko Haram será punida de maneira rígida.

Há relatos de que as forças de segurança nigerianas teriam matado também civis inocentes ao abrirem fogo contra os militantes.

Uma testemunha afirmou à BBC que viu três jovens serem mortos a tiros por policiais enquanto estavam ajoelhados e com as mãos para o alto.

Os militares nigerianos, no entanto, negam as acusações.

"Lei e ordem"
O porta-voz do Exército, Chris Olukolade, disse à BBC que a "lei e a ordem foram restabelecidas" em Maiduguri.

"O enclave das pessoas causando o problema foi submetido ao controle e em pouco tempo nós acreditamos que todos poderão voltar às suas tarefas normais na região", disse.

O governo aliviou o toque de recolher imposto na última noite, permitindo que algumas pessoas circulassem pela cidade.

Se confirmados os dados mais recentes, o número de pessoas mortas teria atingido 300 em quatro dias de combates, desde que mil militantes começaram a atacar delegacias e prédios do governo em várias cidades do norte da Nigéria.

Os episódios de violência começaram no domingo no Estado de Bauchi, e se espalharam pelos Estados de Kano, Yobe e Borno, principalmente na capital deste último, Maiduguri.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG