ARGEL (Reuters) - Forças de segurança argelinas mataram 10 militantes islâmicos em uma emboscada, informou uma rádio estatal neste domingo, enquanto uma empresa canadense disse que um empregado argelino sequestrado por insurgentes foi libertado. As forças de segurança montaram a emboscada no sábado na região de Msila, 400 quilômetros a leste da capital Argel, informou a emissora, acrescentando que uma grande quantidade de armas foi confiscada na operação.

Apesar de o nível de violência ter diminuído consideravelmente durante os últimos anos, insurgentes que operam sob o nome Al Qaeda do Magreb Islâmico fazem esporadicamente na Argélia sequestros e ataques com bomba.

Os agentes indicaram que foram mortos ou capturados centenas de insurgentes, enquanto que muitos outros foram convencidos a entregar suas armas, deixando ativo apenas um pequeno núcleo de combatentes.

Em um caso separado, a empresa canadense de construção SNC-Lavalin disse que foi libertado um de seus empregados argelinos, que havia sido sequestrado por insurgentes no sudeste do país em 4 de janeiro.

"Posso confirmar que nosso engenheiro foi libertado na noite de quinta-feira são e salvo, e estamos muito aliviados", disse Leslie Quinton, vice-presidente de Comunicação Corporativa Global da empresa, em e-mail enviado à Reuters.

(Reportagem de Lamine Chikhi e Christian Lowe)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.