Forças de Israel matam dois palestinos na Faixa de Gaza

Fontes palestinas dizem que soldados cruzaram fronteira, enquanto israelenses dizem ter realizado bombardeio

iG São Paulo |

Dois palestinos foram mortos por forças de Israel nesta quinta-feira na Faixa de Gaza, elevando para 15 o número de mortos em confrontos no território desde sábado (entre as vítimas, uma é israelense).

AP
Médicos palestinos transportam corpo de palestino morto em confrontos com forças israelenses para hospital de Kamal Adwan, em Beit Lahiya, norte da Faixa de Gaza
Fontes palestinas disseram que soldados israelenses entraram por terra no norte de Gaza, matando dois civis que trabalhavam na região de Beit Lahya e ferindo um terceiro. O Exército de Israel, porém, disse ter realizado um bombardeio na região após palestinos terem aberto fogo contra seus soldados. Ninguém teria ficado ferido, segundo um porta-voz militar.

Trata-se do primeiro incidente com mortes desde segunda-feira, quando dois palestinos foram encontrados mortos no sul da Faixa de Gaza. A violência começou no sábado, quando Israel atacou um campo de treinamento do braço armado do grupo islamita no sul de Gaza e matou cinco de seus militantes, entre eles Ahmed Sheikh Khalil, dirigente do grupo.

O Exército israelense informou em comunicado que o alvo do ataque foi "um esquadrão terrorista que se preparava para lançar foguetes de longo alcance" contra solo israelense e era responsável pelo disparo de foguetes Grad na quarta-feira, que não causaram vítimas. Desde quarta, mais de 30 foguetes e morteiros foram disparados contra o sul de Israel.

A Força Aérea de Israel também bombardeou seis áreas, que descreveu como "instalações terroristas", no sul e norte de Gaza, deixando quatro mortos e ferimentos graves em pelo menos dois militantes. Um porta-voz militar afirmou que os alvos atacados foram "um túnel terrorista e três centros de lançamento de foguetes no norte da faixa e dois centros de atividade terrorista no sul".

No domingo, apenas oito horas após a Jihad Islâmica ter anunciado um cessar-fogo , Israel lançou um novo ataque aéreo contra um grupo de milicianos. O bombardeio matou um militante e deixou outro gravemente ferido em Rafah, no sul de Gaza.

Na terça-feira, Israel autorizou seu comando militar a tomar todos os passos necessários para parar o disparo de foguetes de Gaza, incluindo um operação terrestre, enquanto o Egito tenta trabalhar em uma trégua afirmando que Israel concordou em protelar o uso de mais força.

A decisão do governo israelense eximiu-se de ordenar o envio de tanques ao território, e parece improvável que isso aconteça considerando que o disparo de foguetes quase parou no último dia. De acordo com a Associated Press, o governo autorizou o Exército a agir de acordo com a severidade dos ataques palestinos, o que indica que uma ação terrestre só seria ordenada depois de uma grande ataque com foguetes.

O embaixador do Egito para a ANP disse ter obtido uma promessa israelense de contenção enquanto houver esforços para persuadir os militantes palestinos a parar de lançar foguetes.

Com EFE, AFP e AP

    Leia tudo sobre: palestinosisraeloriente médiofaixa de gaza

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG