Forças da ONU descobrem valas comuns com mais de 100 cadáveres na RDC

Kinshasa, 24 mai (EFE).- Soldados da força multinacional da ONU posicionada no nordeste da República Democrática do Congo (RDC) encontraram três valas comuns com os corpos de mais de cem pessoas, informaram hoje porta-vozes do contingente internacional.

EFE |

Uma patrulha de soldados sul-africanos descobriu as fossas perto da aldeia de Maboya, na violenta província de Kivu Norte, disse aos jornalistas Kemal Saiki, porta-voz da Missão de Observação da ONU na RDC (Monuc).

Segundo o funcionário da Monuc, as fossas não são recentes e, aparentemente, se remontam à década de 90, embora seja difícil determinar com certeza quando foi cavada.

Saiki acrescentou que uma das fossas contém os restos de cem pessoas, a segunda, de outras sete, e a terceira, ossos espalhados.

O porta-voz também destacou que as autoridades congolesas pretendem abrir uma investigação para estabelecer a idade das fossas e tentar identificar os corpos enterrados.

A região leste da RDC foi epicentro de duas guerras civis e de incontáveis conflitos tribais desde 1996. Calcula-se que na última conflagração (1998-2002), na qual intervieram as forças de outros cinco países, morreram cerca de quatro milhões de pessoas, a maioria delas sepultadas em valas comuns. EFE jo/sc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG