Forças Armadas tomam controle de região opositora, diz TV boliviana

LA PAZ - Em uma operação durante a madrugada, as Forças Armadas da Bolívia tomaram o controle da cidade de Cobija, capital do departamento de Pando (norte), informou neste domingo a televisão estatal boliviana.

Redação com EFE |


Clique para ver a galeria de fotos dos protestos na Bolívia

O Exército tomou as unidades policiais e militares do setor e patrulha as ruas de Cobija, que, assim como o resto do departamento de Pando, permanece em estado de sítio devido aos confrontos armados entre civis ocorridos nos últimos dias.

Tais distúrbios já deixaram pelo menos 30 mortos, segundo o último relatório do Governo boliviano.Ainda não se sabe se a operação militar realizada esta madrugada causou vítimas. A rádio "Erbol" informou que os primeiros relatos de algumas autoridades dão conta de não houve baixas entre os militares.


Grupos de oposição protestam na Bolívia / AP


O ministro da Saúde boliviano, Ramiro Tapia, afirmou à televisão estatal que o importante é que "a tranqüilidade foi devolvida a Cobija". Tanto o canal estatal quanto a "Erbol" informaram que os militares pretendem patrulhar a zona rural de Cobija, onde ainda há grupos armados na localidade de Porvenir.

No entanto, o porta-voz do Governo de Pando, Hugo Mopi, negou à Agência Efe que a cidade tenha sido tomada pelos militares, que "estão no aeroporto e nos quartéis", e afirmou que "tudo está normal" nas ruas. Mopi também destacou que o foco do conflito continua no aeroporto da cidade, onde os militares e o ministro da Presidência, Juan Ramón Quintana, estão "planejando a tomada da cidade".

O porta-voz disse que a população de Cobija não quer o Exército na cidade e que não vai acatar o estado de sítio decretado na sexta-feira pelo presidente da Bolívia, Evo Morales. Por sua vez, a representante da Presidência em Pando, Nancy Teixeira, denunciou à rádio "Erbol" que a sede da prefeitura da cidade de Filadélfia, considerada o bastião do Governo de La Paz naquele departamento, foi queimada.

"É gente do Governo (de Pando), gente contratada para fazer esse tipo de atentado", denunciou Teixeira, que afirmou que "corpos continuam a ser encontrados" no departamento.

Fim de bloqueios

Em sinal de "boa vontade" e com a intenção de facilitar as negociações para a pacificação do país, os opositores autonomistas da Bolívia anunciaram neste domingo que suspenderão os bloqueios de estradas organizados em protesto contra o presidente Evo Morales.

O anúncio foi feito pelo presidente do Comitê Cívico de Santa Cruz (leste), Branco Marinkovic, que falou em nome de todas as organizações cívicas dos departamentos opositores.

Crise política na Bolívia

A Bolívia vive há semanas uma onda de protestos contra o governo em várias regiões do país controladas pela oposição, que gerou choques desde terça-feira passada.

Os governadores regionais opositores de Santa Cruz, Beni, Pando, Tarija e Chuquisaca exigem que Morales devolva a receita petrolífera que as regiões recebiam pelo Imposto Direto aos Hidrocarbonetos (IDH) e que o Governo cortou para dar um auxílio direto aos idosos.

Estes governadores promoveram processos de autogoverno em suas regiões que o Executivo qualifica de "ilegais" e "separatistas". Também rejeitam frontalmente a Constituição impulsionada por Morales e suas bases.


Mapa político da Bolívia

Leia também:

Leia mais sobre: crise na Bolívia

    Leia tudo sobre: bolíviaconfrontocrise políticaevo moralespando

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG