As Forças Armadas da Bolívia manifestaram indignação pelas reiteradas e infelizes críticas do presidente da Venezuela, Hugo Chávez, e pediram ao ministério das Relações Exteriores que transmita por via diplomática a queixa militar, informou nesta quarta-feira a imprensa local.

O comandante das Forças Armadas, general Luis Trigo, enviou uma nota ao chanceler David Choquehuanca, fixando a posição de repúdio dos militares bolivianos, irritados com as declarações do presidente venezuelano que "afetam profundamente nossa dignidade e integridade".

"Solicito muito respeitosamente a sua digna autoridade, fazer as representações pertinentes no âmbito diplomático para expressar a indignação das Forças Armadas ante declarações tão infelizes", disse o general Trigo na carta enviada ao chanceler.

Chávez afirmou na quinta-feira passada em Caracas que "se Evo (Morales) for derrubado, o matarem, saibam os golpistas da Bolívia que estariam me dando luz verde para apoiar qualquer movimento armado na Bolívia".

Depois das primeiras reclamações militares bolivianas, o presidente da Venezuela insistiu nas críticas, ao afirmar que o general Trigo e outros generais da Bolívia "fazem uma espécie de greve de braços cruzados" para acatar as decisões do presidente Evo Morales.

O general Trigo declarou que a reação da instituição foi de "repúdio enérgico e categórico contra a ingerência estrangeira de qualquer tipo e venha de onde vier, em temas que são de competência apenas dos bolivianos".

jac/fp

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.