Forças argelinas detêm 72 pessoas em relação a atentados

Argel, 2 jul (EFE).- Pelo menos 72 pessoas foram detidas nos últimos dias durante a investigação de dois atentados cometidos em junho em duas províncias do leste da Argélia, que causaram 25 mortos entre gendarmes, guardas comunais e civis, informaram hoje fontes locais.

EFE |

Do total de detidos, 22 pessoas, de entre 25 e 40 anos, foram interrogadas pelas forças de segurança na província de Bordj Bou Arreridj e colocadas à disposição judicial por crime de pertencer a uma rede de apoio a um grupo terrorista.

Estas pessoas são acusadas de participar, de maneira direta ou indireta, da emboscada de 17 de junho na citada província contra um comboio da Gendarmaria Nacional que escoltava empregados de uma empresa chinesa que está construindo uma estrada.

Dezoito gendarmes e dois civis morreram, e outros seis agentes ficaram feridos em consequência deste ataque, o mais mortal cometido no país desde agosto do ano passado.

Outras 50 pessoas foram detidas por sua relação com o grupo terrorista autor de um atentado em 22 junho na província de Khenchela, que custou a vida de cinco guardas comunais.

Estes indivíduos estão sendo interrogados em dependências do comando do Exército da província de Constantina, indicaram as fontes.

Além disso, um terrorista morreu na terça-feira em uma operação de forças combinadas de segurança na província de Boumerdès, na Cabília, e outros dois foram capturados vivos na província de Batna, na mesma região. EFE sk-jg/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG