Forças afegãs e talebans se enfrentam pelo segundo dia em Candahar

Militares e policiais locais tiveram apoio de tropas e helicópteros da Otan; 23 insurgentes morreram no total

iG São Paulo |

Forças afegãs e combatentes do Taleban trocaram tiros neste domingo em Candahar, principal cidade do sul do Afeganistão, no segundo dia de ataques contra alvos do governo.

Explosões ecoaram em Candahar durante toda a manhã. As forças afegãs tinham o apoio da Organização do Tratado do Talântico Norte (Otan), com helicópteros militares e soldados da aliança ocidental.

AP
Policial afegão atira contra talebans em meio a ataques contra alvos do governo em Candahar, pelo segundo dia consecutivo
De acordo com a Associated Press, até agora 23 insurgentes foram mortos, além dois membros das forças de segurança. Outras 40 pessoas ficaram feridas.

Em uma área da cidade, militantes em um prédio comercial trocaram tiros com forças de segurança em um edifico do governo. Dois insurgentes encurralados em um hotel foram mortos após horas resistência.

Na noite de domingo, forças afegãs recuperaram áreas da cidade de Candahar capturadas pelos talebans após dois dias de batalhas, segundo o governador da província Tooryalai Wesa.

No sábado, insurgentes talebans atacaram alvos do governo na cidade em Candahar, deixando ao menos 29 pessoas feridas e duas mortas. Segundo o governador Tooryalai Wesa, ao todo ocorreram dez atentados, dos quais dois com carro-bomba e dois com pequenas carroças de tração humana, além de seis ataques suicidas.

Os ataques ocorre duas semanas após cerca de 500 prisioneiros, muitos deles comandantes do Taleban terem escapado da principal prisão de Candahar.

Em comunicado, o gabinete do presidente afegão Hamid Karzai afirmou que os ataques foram uma espécie de vingança dos extremistas após a eliminação de Osama Bin Laden, morto no último domingo no Paquistão por um comando das forças armadas dos Estados Unidos.

"A Al-Qaeda e seus membros terroristas, que sofreram uma importante derrota com a eliminação de Osama Bin Laden em território paquistanês, tentaram escondê-la matando civis em Candahar e exercendo sua vingança contra o povo inocente do Afeganistão", destacou Karzai.

Bin Laden

O Taleban anunciou na semana passada o início da "ofensiva de primavera" e prometeu intensificar os seus ataques contra tropas estrangeiras e autoridades do governo afegão. Essas ameaças foram reemitidas após a morte do líder da Al-Qaeda, Osama bin Laden, no Paquistão.

Um porta-voz do Taleban afirmou que o grupo militante realizou o ataque, mas disse que a ação não tinha relação com a morte de Bin Laden. "Uma série de combatentes estão em várias localidades na cidade. Não são ataques retaliatórios pela morte de Osama bin Laden, mas sim parte da ofensiva de primavera", disse Qari Yousuf Ahmadi.

Candahar, local de surgimento do Taleban, tem sido um foco de operações armadas no último ano, e comandantes militares disseram ter feito alguns avanços, mas que eram frágeis e reversíveis.

Em 2010, a violência no Afeganistão atingiu seus piores níveis desde que o Taleban foi tirado do poder, no fim de 2001, com recorde de mortes em ambos os lados do conflito.

*Com Reuters, BBC e AP

    Leia tudo sobre: afeganistãocandaharataquesgoverno

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG