Força de Abbas e militantes enfrentam-se na Cisjordânia; 1 morre

Por Ali Samoudi QABATYA (Reuters) - Um civil palestino morreu na terça-feira quando forças ligadas ao presidente palestino, Mahmoud Abbas, entraram em choque com militantes pela primeira vez desde o lançamento de uma grande operação de segurança no norte da Cisjordânia.

Reuters |

O grupo Jihad Islâmica disse que dois de seus combatentes ficaram feridos nos enfrentamentos entre seus homens e integrantes das forças de segurança de Abbas.

O choque ocorreu quando essas forças tentavam estabelecer seu controle sobre a cidadezinha de Qabatya, um reduto de militantes palestinos localizado perto de Jenin.

O grupo islâmico prometeu 'pegar em armas' contra qualquer um que ficasse no caminho da 'resistência' a Israel, sublinhando as dificuldades que Abbas deve enfrentar ao tentar controlar os militantes -- a principal condição do governo israelense para permitir a criação de um Estado palestino.

O general Diyab al-Ali, chefe das Forças Nacionais de Segurança na Cisjordânia, disse que centenas de seus homens, que chegaram a Jenin no sábado para realizar a parte mais importante de uma operação apoiada pelos EUA, ingressaram em Qabatya e agora a controlavam.

O governo norte-americano espera que a operação mostre que os palestinos estão cooperando antes da chegada à região, na próxima semana, do presidente dos EUA, George W. Bush.

Bush deseja que Abbas e o primeiro-ministro de Israel, Ehud Olmert, cheguem a um acordo de paz ainda neste ano.

Os moradores de Qabatya afirmaram que o civil Mo'men Fawwaz Kmeil, 20, foi morto a tiros ao tentar escapar dos conflitos.

As forças de segurança palestinas disseram que o homem morreu quando um 'grupo ilegal' abriu fogo contra seus membros, acrescentando que investigariam o caso.

A chegada a Jenin dos homens de Abbas, alguns dos quais treinados na Jordânia com verbas dos EUA, ocorre depois de algo semelhante ter sido realizado em Nablus, no ano passado.

Jipes e ônibus que carregariam até 600 homens armados ingressaram na cidade no sábado, em uma operação realizada de forma coordenada com Israel.

Outros 150 homens já presentes em Jenin, um reduto de militantes, uniram-se aos que desembarcavam.

As forças de Abbas ingressaram também no instável campo de refugiados de Jenin -- tornando-se as primeiras forças de segurança palestinas a fazer isso -- e pretendem realizar missões semelhantes em cerca de 50 vilarejos existentes ao redor da cidade.

(Reportagem adicional de Mohammed Assadi em Ramallah)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG