Força Aérea britânica rejeita confirmar envio de príncipe William às Malvinas

Londres, 3 fev (EFE).- A Força Aérea britânica (RAF) ainda não tomou uma decisão de enviar o príncipe William, filho mais velho do príncipe Charles da Inglaterra, às ilhas Malvinas, afirmou hoje à Agência Efe um porta-voz da corporação no Ministério da Defesa em Londres.

EFE |

O porta-voz respondeu desta forma a uma informação publicada na segunda-feira no jornal "Daily Telegraph", que citava um artigo da "RAF News" e indicava que o príncipe prestaria serviço durante três meses nas Malvinas, cuja soberania é reivindicada pela Argentina.

Segundo a fonte, é prematuro saber onde o príncipe será destinado, já que William atualmente faz um curso de preparação como piloto de helicópteros do serviço de busca e resgate (SAR).

Caso seja enviado ao Atlântico Sul, William -de 26 anos e segundo na linha de sucessão à Coroa britânica- será o primeiro membro da família real a viajar para as Malvinas como membro na ativa das Forças Armadas desde a guerra contra a Argentina, em 1982.

A informação publicada pela "RAF News", um site de uso interno da RAF e do Ministério da Defesa, leva como título "Wills enfrenta dura prova das Falklands (como as Malvinas são chamadas pelo Reino Unido) em sua estreia de busca e resgate", e nela assegura que o príncipe está muito interessado em participar desta missão.

Na segunda-feira, uma porta-voz de Clarence House, residência oficial de Charles da Inglaterra, tinha indicado que se tratava de um "assunto militar", pelo que não podia fazer comentários a respeito. EFE vg/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG