Sana, 18 dez (EFE).- Fontes de segurança iemenitas negaram hoje à Agência Efe que os seqüestradores de três cidadãos alemães ao sudeste da capital iemenita tenham pedido a libertação de dois clérigos presos nos Estados Unidos, como tinha sido informado antes.

As fontes afirmaram que essa informação, surgida hoje em vários meios de comunicação, é "falsa".

Segundo as fontes, o líder dos seqüestradores continua exigindo a libertação de seu filho e de seu irmão, condenados há quatro meses pelo seqüestro de cinco engenheiros iemenitas no ano passado.

Na segunda-feira, um especialista da cooperação alemã e seus pais, que estavam no Iêmen de férias, foram abordados por cinco membros de uma tribo iemenita na cidade de Radaa, cerca de 130 quilômetros ao sudoeste da capital, Sana.

Além disso, membros do Governo realizaram hoje uma segunda rodada de negociações com os seqüestradores, da qual participaram mediadores das tribos iemenitas, segundo as mesmas fontes.

Segundo estas fontes, as conversas conseguiram avanços, mas não deram mais detalhes. EFE ja/an

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.