Sydney (Austrália) - As chamas chegaram nesta segunda-feira a 30 metros das primeiras ruas de zonas residenciais da periferia de Melbourne, capital do estado australiano de Victoria, onde destruíram uma casa.

Os bombeiros também combatem outros focos de incêndio em Victoria, onde as chamas já mataram 210 pessoas, além de destruir 1.900 casas e 455.000 hectares de terras, a maior parte florestas.

Os bombeiros de Victoria entraram novamente em alerta contra novos incêndios em áreas urbanas ontem, com as piores condições, com fortes ventos e temperaturas acima dos 40ºC, desde o dia 7 deste mês, quando começaram os focos de incêndio que castigam o sul do país.

Centenas de bombeiros, com caminhões-pipa e helicópteros, trabalham para combater as chamas.

Em Warburton, 80 quilômetros ao leste de Melbourne, e em outras 15 cidades do Vale de Yarra, grande parte da população decidiu abandonar suas casas.

As autoridades pediram aos moradores que ficaram em casa para tentar defendê-las que não mudem de opinião na última hora para não ficarem presos pelas chamas.

Neil Bumpstead, porta-voz dos bombeiros, advertiu que se o fogo chegar a Warburton, povoado acessível por uma única estrada através da floresta, os moradores não poderão entrar nem sair até que o fogo não tenha sido apagado, o que pode demorar vários dias.

A frente de Kilmore e Murrindindi, 100 quilômetros ao norte de Melbourne e que já arrasou 26 mil hectares, continua sendo a mais perigosa e propensa a mudanças na direção dos ventos.

Também preocupa o fogo no parque nacional de Wilsons Promontory, no sudeste do estado e onde foram queimados 21 mil hectares, e o de Bunyip Ridge, ao oeste de Melbourne. 

Leia mais sobre incêndios

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.