FMI: ex-affair de Strauss-Kahn denuncia assédio sexual

A economista húngara com quem o diretor geral do Fundo Monetário Internacional (FMI), Dominique Strauss-Kahn, manteve uma relação extraconjugal, acusou-o de assédio sexual, segun do uma carta publicada nesta quinta-feira pela revista francesa LExpress.

AFP |

"Strauss-Kahn abusou de sua posição para iniciar uma relação comigo", afirma Piroska Nagy na carta, que data de outubro de 2008, e da qual a L'Express publicou alguns fragmentos.

"Eu não estava preparada para as propostas do diretor geral do FMI. (...) Tinha o sentimento de que perderia se aceitasse e se me negasse", continua.

Interrogado sobre o conteúdo da carte, o FMI não desmentiu a versão.

"O conselho externo designado para investigar o assunto foi informado no tempo devido, muito antes de entregar suas conclusões sobre os fatos", indicou um porta-voz do organismo à AFP.

Strauss-Kahn, de 59 anos, admitiu ter mantido, no início de 2008, um caso com a economista, que contou tudo ao Wall Street Journal em outubro.

hh/ap

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG