FMI diz que Hungria tem de tomar

Missão enviada a Budapeste advertiu que governo terá de reduzir déficit público

AFP |

Uma missão do Fubdo Monetário Internacional (FMI) em Budapeste advertiu neste sábado que o governo húngaro deverá tomar "decisões difíceis" para reduzir o déficit público, particularmente baixando os gastos e reestruturando as empresas públicas.

"Em um momento em que os mercados prestam mais atenção nos déficits e nos níveis de endividamento governamental, as metas de redução do déficit anunciados - 3,8% do Produto Interno Bruto (PIB) em 2010 e menos de 3% em 2011 - são uma base adequada para o processo necessário de consolidação (...), mas são necessárias medidas adicionais para alcançá-los", disse Christoph Rosenberg, que liderou uma missão do FMI de 6 a 17 de julho na Hungria.

Fortemente afetado pela crise internacional, o governo húngaro obteve em outubro de 2008 um resgate de 20 bilhões de euros do Fundo Monetário Internacional (FMI) e da União Europeia (UE). O acordo devia expirar em março de 2010, mas foi estendido até outubro.

    Leia tudo sobre: FMIHungria

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG