FMI destaca melhora econômica do Iraque, mas pede reformas adicionais

Washington, 3 set (EFE).- O Fundo Monetário Internacional (FMI) avaliou hoje os avanços econômicos do Iraque nos últimos meses, mas pediu ao Governo que vigie os gastos públicos e promova reformas estruturais adicionais.

EFE |

O conselho executivo do FMI se reuniu nesta quarta-feira para analisar o acordo assinado com o país asiático, a partir do qual este recebeu em dezembro do ano passado aproximadamente US$ 750 milhões para ajudar no desenvolvimento de sua economia até março de 2009.

Após a reunião, o subdiretor-general do FMI, Takatoshi Kato, afirmou que, "após anos muito difíceis, as perspectivas econômicas para o Iraque melhoraram e as autoridades estão perseverando na aplicação de seu programa econômico em 2008".

"Com as recentes melhoras em segurança, a indústria petrolífera e as exportações estão crescendo, enquanto a inflação está sendo controlada", disse.

"A fortaleza fiscal e as contas externas oferecem ao Iraque uma boa oportunidade para reconstruir suas instituições e suas infra-estruturas, e assim obter um crescimento econômico estável", destacou o especialista.

Para o FMI, "o triunfo ante estes desafios permitirá ao Iraque assegurar melhoras adicionais em matéria de segurança, acentuar a receita petrolífera e iniciar reformas estruturais fundamentais".

Contudo, o órgão reconheceu que o país precisa de investimentos adicionais, após décadas de carências acentuadas. Mas diz que "seria conveniente vigiar a qualidade do investimento público".

"Para manter a inflação sob controle, o Banco Central do Iraque deve manter uma política monetária restritiva, mediante a valorização do dinar e a manutenção de taxas de juros positivas em termos reais", destacou o FMI. EFE pgp/sc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG