FMI concede empréstimo a Honduras; EUA estudam reduzir ajuda

TEGUCIGALPA - Honduras disse, nesta terça-feira, ter recebido US$ 150 milhões do Fundo Monetário Internacional (FMI), enquanto os EUA estudam cortar fundos para o país da América Central após o golpe de estado de 28 de junho. O Banco Central de Honduras informou que os Direitos Especiais de Saque (SDRs na sigla em inglês) do FMI, sediado em Washington, serão usados para reforçar suas reservas em dólares. O país ainda receberá outros US$ 14 milhões nas próximas semanas, acrescentou o organismo.

Reuters |

Em abril, o FMI concordou em emitir US$ 250 bilhões a seus países-membros por meio dos SDRs, um mecanismo para melhorar a liquidez emitindo dinheiro novo para contrabalançar os efeitos da crise econômica global. O México e a Nicarágua receberam incentivos similares na semana passada.

Os EUA devem decidir em breve se declaram ou não que a expulsão do presidente hondurenho Manuel Zelaya foi um golpe militar.

Tal posicionamento pode levar a um corte de dezenas de milhões de dólares em ajuda a Honduras por conta de uma lei americana que veta a ajuda a governos cujo chefe de estado é deposto por um golpe ou decreto militar.

Os EUA já suspenderam cerca de US$ 18 milhões em auxílios a Honduras.

Apesar da oposição mundial à expulsão de Zelaya, o governo interino de Roberto Micheletti diz que não será forçado a renunciar.

Leia mais sobre Honduras

    Leia tudo sobre: golpehonduras

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG