Berlim, 28 ago (EFE) - Cientistas alemães descobriram no Ártico canadense os restos de uma floresta fóssil datada de aproximadamente 55 milhões de anos, informou hoje o Instituto de Geociências e Recursos Naturais de Hannover.

Algumas das árvores fossilizadas ainda estão de pé como quando tinham vida e formavam uma densa floresta, explicaram os cientistas alemães da central de seu instituto.

Os paleontólogos e geólogos alemães ressaltaram que alguns fragmentos de fósseis dos troncos que estavam em pé atingem 1,5 metro de altura, enquanto os que estavam caídos na terra chegam a medir até dez metros.

Após afirmar que as árvores fossilizadas estão em tão bom estado que é até possível distinguir nos troncos os anéis de crescimento, os pesquisadores informaram que a descoberta foi realizada na ilha de Ellesmere, um dos territórios mais ao norte da Terra.

Também explicaram que, há 55 milhões de anos, grandes florestas cobriam o que hoje é o Ártico - quando a América do Norte, o norte da Groenlândia e a Europa formavam um único continente.

Embora esses territórios estivessem quase tão ao norte como atualmente, as florestas fossilizadas achadas nessas regiões demonstram que o clima naquela época era muito mais quente do que agora, afirmaram os cientistas.

O que hoje são as regiões polares, há 55 milhões de anos, se encontravam livres de gelo, enquanto que a Alemanha possuía um agradável clima subtropical, concluíram os especialistas de Hannover. EFE jcb/bm/db

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.