NOVA YORK (Reuters) - A flexibilidade das condições de trabalho representa um fator fundamental para manter os funcionários satisfeitos, produtivos e leais a sua empresa, afirmou um novo estudo. Segundo pesquisadores da Faculdade de Medicina da Universidade Wake Forest, em Winston-Salem (Carolina do Norte), os funcionários que dispõem de maior flexibilidade quanto a suas condições de trabalho são menos propensos a afirmar que problemas de saúde afetam seu desempenho no emprego.

'Para os gerentes, os resultados da pesquisa sugerem que adotar esquemas de flexibilidade pode contribuir de maneira fundamental', afirmou Joseph Grzywacz, professor de medicina familiar na universidade.

A flexibilidade nos locais de trabalho diz respeito à capacidade dos empregados de modificar o local, o momento e a duração de suas tarefas.

Os dispositivos de telecomunicação, a liberdade para fixar os horários de trabalho e o compartilhamento de funções foram os tipos principais de flexibilidade citados no estudo, publicado na revista Psychologist-Manager.

Os pesquisadores analisaram os cadastros com informações sobre a saúde fornecidos por 3.193 funcionários de uma grande empresa farmacêutica. Por meio dessas informações, determinaram como a percepção do aumento ou redução da flexibilidade de um ano para o outro associava-se a uma variedade de fatores.

A diminuição da flexibilidade mostrou-se relacionada com uma redução do comprometimento pessoal com o emprego, mas teve pouco impacto na frequência das faltas, afirmaram.

Já oferecer uma variedade de situações alternativas de trabalho e treinar os gerentes e supervisores para serem compreensivos quanto às demandas da vida pessoal de seus funcionários podem ajudar a criar uma cultura de flexibilidade, acrescentaram os pesquisadores.

(Reportagem de Julie Mollins)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.