Fitologista britânico é acusado de forjar descoberta de espécies vegetais

Londres, 2 out (EFE).- O respeitado fitologista britânico John Heslop-Harrison (1881-1967), que se tornou famoso pela descoberta de espécies vegetais nas ilhas Hébridas escocesas, é acusado de ter plantado as sementes das plantas e depois afirmar tê-las encontrado.

EFE |

Segundo publicação de hoje do jornal britânico "The Times", o Museu de História Natural de Londres tem em seu poder arquivos confidenciais que indicam que o botânico reuniu sementes durante suas viagens, plantou-as nas ilhas escocesas e depois falseou suas descobertas.

Suas catalogações de plantas raras, que apoiavam a hipótese de que a idade de gelo não teria chegado à Escócia, permitiram que ele forjasse uma grande reputação no mundo da botânica há 60 anos.

Suas descobertas mais importantes aconteceram na ilha de Rum (oeste da Escócia) no final dos anos 40, onde "descobriu" a espécie Carex bicolor e o junco Juncus capitatus.

Algumas das espécies descobertas eram comuns nos Alpes, mas nunca tinham sido encontradas tão ao norte.

A presença da Carex bicolor na Escócia apoiava a hipótese de que a idade de gelo não havia atingido as ilhas e, por isto, muitas espécies de plantas sobreviveram.

As primeiras dúvidas quanto ao trabalho de Heslop-Harrison surgiram entre alguns colegas contemporâneos, como John Raven, que explicou em um documento que o Carex bicolor e o Juncus capitatus pareciam ter sido plantados há pouco tempo e disse não ter encontrado outras amostras iguais as que foram documentadas pelo botânico.

No entanto, a reputação e a influência de Heslop-Harrison, que era acadêmico e membro da Royal Society e cujo filho tinha o cargo de diretor dos Jardins Botânicos Reais de Kew, impediram que a fraude fosse revelada.

Segundo o "The Times", o anúncio da fraude foi descartado porque o botânico estava no final de sua carreira e seria um "duro golpe" para ele.

As suspeitas de Raven foram enterradas em uma biblioteca de Cambridge, até que em 1999 o escritor Karl Sabbagh as publicasse em um trabalho que expunha as suspeitas sobre Heslop-Harrison.

Seu livro fez com que uma legião de admiradores do botânico saísse em sua defesa.

Mas Sabbagh, empenhado em descobrir a verdade, teve acesso a documentos que demonstram que o até agora respeitado botânico falseou suas descobertas. EFE vmg/fh/fal

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG