Finlândia não vai ratificar tratado contra bombas de fragmentação

Helsinque, 31 out (EFE).- A presidente da Finlândia, Tarja Halonen, e o Governo do primeiro-ministro Matti Vanhanen acertaram hoje não ratificar por questões de segurança nacional o tratado internacional que proíbe as bombas de fragmentação.

EFE |

Mais de uma centena de países, entre eles a Espanha, ratificarão no dia 3 de dezembro na capital norueguesa a chamada Convenção de Oslo sobre bombas de fragmentação, um tratado internacional que pretende colocar um fim ao uso, fabricação, distribuição e armazenamento das também chamadas bombas de fragmentação.

A Finlândia optou por ficar fora do tratado ao considerar que sua capacidade defensiva ficaria muito enfraquecida se o país fosse obrigado a destruir este tipo de arsenal, embora não tenha descartado ratificar a convenção no futuro.

"Não vamos usar este tipo de armas a não ser para defender nosso país. Não temos os pré-requisitos necessários para participar da Convenção de Oslo", declarou Vanhanen à televisão finlandesa "YLE".

EFE jg/ma

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG