Financista é acusado de roubar US$ 74 milhões de Citibank

Nova York, 25 ago (EFE).- O financista americano Hassan Nemazee, presidente e executivo-chefe da empresa de investimentos Nemazee Capital, foi acusado de apresentar documentos falsos para conseguir até US$ 74 milhões do Citibank em empréstimos, informou hoje a Procuradoria Federal, em Manhattan.

EFE |

O financista, que foi detido hoje, é acusado pelo crime de fraude bancária, que pode resultar em uma pena máxima de 30 anos de prisão e uma elevada sanção econômica.

A Procuradoria alega que Nemazee organizou um plano para induzir o Citibank a conceder até US$ 74 milhões a ele em créditos, desde dezembro de 2006. Para isso, o financeiro teria apresentado vários documentos falsos à entidade, que aparentemente mostravam que possuía ativos contabilizados em centenas de milhões de dólares, em diversas contas bancárias.

As autoridades determinaram, no entanto, que essas contas não existiram ou foram canceladas anos antes de Nemazee apresentar os documentos, explicou a Procuradoria, em comunicado de imprensa.

Além disso, o financista apresentou direções e telefones que aparentemente correspondiam a diversas entidades onde supostamente mantinha os fundos e através dos quais o banco poderia comprovar sua solvência financeira.

O financeiro, que arrecadou fundos para relevantes candidatos do Partido Democrata americano, foi proposto pelo ex-presidente americano Bill Clinton como embaixador na Argentina e foi membro de destacadas organizações vinculadas às relações internacionais.

Agentes federais interrogaram o financista, de 59 anos de idade, no aeroporto internacional de Newark, no domingo, quando ia para Roma.

A Procuradoria explicou que Nemazee devolveu os US$ 74 milhões ao Citibank na segunda-feira. EFE vm/pd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG