Filme para TV mostrará vida amorosa de Sarkozy

A Endemol, produtora de reality shows e criadora do Big Brother, vai realizar um filme para a televisão sobre a vida amorosa do presidente francês, Nicolas Sarkozy. A filial francesa da empresa comprou os direitos de dois livros sobre o assunto para adaptá-los às telas.

BBC Brasil |

Carla e Nicolas: A Verdadeira História, escrito com a colaboração da própria Carla Bruni, foi publicado em junho passado na França e será um dos livros usados.

O outro livro que irá inspirar o filme é Rupturas, escrito por dois jornalistas. Ele relata a relação entre Sarkozy e sua ex-exposa Cécilia, desde a posse do presidente, em maio do ano passado, até o divórcio, com grande repercussão mundial, apenas cinco meses depois.

Segundo a imprensa francesa, os conselheiros de Sarkozy estão bastante descontentes com o anúncio do filme.

Queda nas pesquisas
A grande exposição da vida sentimental de Sarkozy nas revistas de celebridades contribuiu para a sua forte queda nas pesquisas de opinião a partir do início deste ano. Apenas recentemente, o líder francês começou a reverter a tendência de baixa nas sondagens.

Nicolas Sarkozy chegou a registrar o pior índice de popularidade de um presidente francês após um ano de mandato, nos últimos 50 anos.

A assessoria da Endemol França informou à BBC Brasil que a empresa está tentando vender, inicialmente, o filme a canais de TV do país, mas também deve apresentá-lo a televisões internacionais.

A partir do momento em que o filme for vendido, começaria o processo de produção das filmagens, que serão realizadas na França, de acordo com empresa.

"Ainda não escolhemos o diretor nem os atores", disse Élodie Chambaut, da assessoria da Endemol França.

Segundo o site da revista francesa L'Express, televisões estrangeiras teriam interesse em comprar o filme.

De acordo com o jornal italiano La Reppublica, a produtora Endemol quis realizar o filme porque a vida amorosa de Sarkozy apresenta episódios romanescos.

Três casamentos
O líder francês se separou de sua primeira esposa, Marie-Dominique Culioli, para ficar com Cécilia, cujo casamento no civil com Jacques Martin havia sido celebrado pelo próprio Nicolas Sarkozy, quando era prefeito de Neully-sur-Seine.

Cécilia teve um papel importante na carreira política de Sarkozy até sua chegada à presidência e acabou o abandonando pouco tempo depois, em outubro passado.

Em seguida, ocorreu o casamento-relâmpago com a ex-top model e cantora Carla Bruni, no início de fevereiro de 2008.

A imprensa francesa diz que o maior canal de TV privado do país, TF1, não compraria o filme porque o proprietário é um grande amigo do presidente.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG