Filme diz que padre espanhol feriu João Paulo II em visita a Fátima

Cidade do Vaticano, 15 out (EFE).- O sacerdote fundamentalista espanhol Juan Fernández Krohn conseguiu ferir levemente o papa João Paulo II em Fátima em 1982, ao contrário do defendido até agora, revela um filme baseada no livro Uma vida com Karol, do cardeal Stanislaw Dziwisz.

EFE |

O filme será lançado amanhã no Vaticano com a presença de Bento XVI, coincidindo com o aniversário de 30 anos da escolha de Karol Wojtyla como papa, em 16 de outubro de 1978. Hoje, o filme foi apresentado por Dziwisz e pelo jornalista italiano Gianfranco Dziwisz, que é co-autor do livro.

Svidercoschi contou à imprensa que no filme o cardeal Dziwisz, que foi durante 39 anos secretário pessoal de João Paulo II, revela um episódio que foi mantido em segredo durante 26 anos.

No dia 12 de maio de 1982 um sacerdote fundamentalista espanhol, Juan Fernández Krohn, tentou matar João Paulo II em Fátima (Portugal) com um facão.

O papa tinha ido a aquele lugar para agradecer à Virgem, que, segundo ele, o salvou de um atentado na Praça de São Pedro em 13 de maio de 1981, quando foi baleado pelo turco Ali Agca.

O padre espanhol teria sido preso antes de alcançar seu objetivo, é a versão defendida até agora.

O cardeal Dziwisz conta agora no filme, que o papa na verdade foi ferido, já que quando chegaram a um quarto do santuário de Fátima "havia sangue", mas não diz mais nada. EFE jl/fal

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG