Fillon pede que diálogo substitua provocação no Irã

Paris, 16 jun (EFE).- O primeiro-ministro francês, François Fillon, pediu hoje às autoridades iranianas para recorrerem à via do diálogo em vez de trilharem o caminho da provocação para colocar fim à violência originada após as eleições presidenciais da semana passada.

EFE |

As autoridades de Teerã devem escolher o diálogo e o respeito ao direito internacional contra o "endurecimento" político e às provocações, porque essa segunda opção "não leva lugar algum", afirmou o responsável do Executivo francês na Assembleia Nacional.

Fillon expressou a preocupação francesa com a "degradação da situação" no Irã e condenou os atos de violência contra os opositores que rejeitam a vitória eleitoral do presidente, Mahmoud Ahmadinejad, assim como as "restrições às liberdades públicas e à liberdade de expressão" nesse país.

"Respeitamos a soberania do Irã", disse o primeiro-ministro francês, antes de lembrar a posição da União Europeia (UE) a favor da abertura de uma investigação "séria e imparcial" em torno das denúncias de irregularidades no processo eleitoral.

O Conselho Nacional da Resistência Iraniana (CNRI) convocou para este domingo em Paris iranianos de todo o mundo a um protesto grande contra o "fascismo religioso" do atual regime de Teerã.

"Dezenas de milhares de iranianos" participarão desta convocação para expressar sua opinião sobre o que está ocorrendo no país após as eleições presidenciais da semana passada, assinala o Conselho em comunicado. EFE pi/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG