Filhos dizem que Politkovskaya recebeu ameaças por 5 anos

Moscou, 27 nov (EFE).- A jornalista russa Anna Politkovskaya começou a receber ameaças de morte cinco anos antes de seu assassinato, que aconteceu em 7 de outubro de 2006, declararam hoje seus filhos durante o julgamento sobre o caso.

EFE |

"Mamãe tentava nos proteger dessas informações e só as compartilhava com pessoas de confiança da revista 'Nóvaya Gazeta'", assinalou Ilya Politkóvski, filho da jornalista, citado por agências de notícias russas.

Ilya, que também é jornalista da revista, reiterou perante o juiz que sua mãe "cobria muitos temas, incluindo a Chechênia e o Exército, mas em geral todos os assuntos que requeriam investigação".

A jornalista tinha confessado em várias ocasiões ter recebido ameaças de morte dos serviços secretos russos, do Exército e de outras agências de segurança do Estado que haviam sido criticadas por ela.

Por sua vez, a filha da jornalista disse que sua mãe lhe advertiu que "via gente estranha na porta que não tinha visto antes e que ela deveria ter cuidado".

"Isso significa que ela viu algo. Tinha escrito muitos artigos pelos quais sua segurança podia estar ameaçada e ela era consciente disso", disse Vera Politkóvskaya.

O assassinato de Politkóvskaya, que nasceu em Nova York em 1958, foi perpetrado em Moscou quando a jornalista preparava um artigo sobre as torturas sistemáticas na Chechênia, que foi publicado por seus colegas cinco dias após sua morte. EFE io/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG