Filhos de pessoas com alzheimer têm memória 50% pior

(Embargada até as 18h de Brasília) Redação Internacional, 18 fev (EFE).- Os filhos de pessoas que sofrem do mal de alzheimer ou de outro tipo de doença mental têm memória 50% pior do que os demais, concluiu um estudo da Universidade de Boston, nos Estados Unidos.

EFE |

Os pesquisadores, liderados por Sudha Seshadri, apresentarão seus resultados na reunião anual da Academia Americana de Neurologia em Seattle, ainda no primeiro semestre.

Para chegar à conclusão de que a memória do adulto é afetada por estas doenças na ascendência, a equipe científica submeteu 715 pessoas com média de 59 anos de idade a testes de memória visual e verbal e a uma ressonância magnética cerebral.

Dos mais de 700 participantes, 282 tinham antecedentes de alzheimer ou demais doenças mentais em um ou nos dois pais.

Os pesquisadores também observaram os que portavam o gene ApoEe4, considerado um fator de risco de transmissão.

Aqueles que portavam esse gene e antecedentes das doenças obtiveram pontuações muito mais baixas do que as demais nas provas de memória.

"As doenças dos pais, como a de alzheimer estiveram fortemente associadas aos piores resultados nas tarefas de memória verbal e visual", afirmou Seshadri.

Segundo ele, o resultado nas pessoas com pais afetados pelo mal de alzheimer ou doença semelhante equivaleram a um envelhecimento cerebral de 15 anos em relação aos demais participantes.

Os indivíduos com antecedentes destas doenças e a presença do gene ApoEe4, então, mostraram probabilidades de duas a três vezes maior de obter maus resultados nos testes de memória.

O efeito, segundo os pesquisadores, esteve muito limitado às pessoas portadoras do gene, o que apoia a hipótese de que ele é, pelo menos parcialmente, responsável pela transmissão do alzheimer entre gerações. EFE vmg/jp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG