Um tribunal americano concedeu aos filhos de uma suposta vítima do governo de Cuba uma indenização de 253 milhões de dólares, o maior valor já anunciado pela Justiça dos EUA contra Havana, informou o jornal The Miami Herald em sua edição de sábado.

Rafael del Pino Jr. e sua irmã Milagros Suarez são filhos de Rafael Del Pino Siero, um cubano-americano que foi amigo de Fidel Castro na Universidade de Havana, mas que acabou preso quando o "comandante" chegou ao poder em 1º de janeiro de 1959, de acordo com a matéria.

Del Pino Siero "que havia rompido com o líder da guerrilha por suspeitas de que Castro era comunista, foi capturado quando tentava ajudar um cubano a escapar para Miami, em julho de 1959", acrescentou o "Herald".

Ele morreu na prisão, 18 anos depois, aos 51. Seus dois filhos estavam em Miami.

O governo cubano garante que Del Pino Siero se suicidou, mas os promotores do caso culparam Havana de sua morte.

Ontem, um júri, no condado de Miami-Dade, na Flórida (sudeste), concedeu-lhes essa indenização recorde contra o governo cubano.

Muito provavelmente, os demandantes não poderão continuar com o caso, já que a conta cubana congelada nos EUA tem poucos recursos.

mdl/tt

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.