Filho do rei de Barein processa Michael Jackson por quebra de contrato

Londres, 17 nov (EFE) - O xeque Abdullah bin Hamad al-Khalifa, segundo filho do rei de Barein, entrou com um processo contra o cantor Michael Jackson por quebra de contrato, já que supostamente o astro não devolveu o dinheiro que pegou emprestado quando teve problemas financeiros, informou hoje a agência britânica PA.

EFE |

Segundo o veículo, Khalifa, que apresentou a ação no Tribunal Superior de Londres, quer recuperar os US$ 7 milhões que emprestou ao astro pop em 2005, após esse ter sido julgado por abuso sexual de menores.

Na audiência realizada hoje, o advogado do xeque, Bankim Thanki, disse que seu cliente e o cantor entraram em um "acordo de direitos compartilhados", pelo qual Jackson, para pagar Khalifa, se comprometia a gravar um disco, fazer uma autobiografia e um álbum.

Ao contestar as alegações, o cantor, que não esteve presente na audiência, negou que houvesse qualquer acordo válido e disse que Khalifa baseia seu caso em "um equívoco, má-interpretação e influência indevida", acrescenta a agência.

Jackson insistiu em que os pagamentos recebidos do xeque, a quem conheceu durante uma estadia de seis meses em Barein em 2005, eram "presentes".

O advogado do xeque explicou que o cliente inclusive tinha montado um estúdio de gravação para Jackson em seu antigo rancho de Neverland para produzir uma música juntos.

O xeque, diretor da gravadora 2 Seas Group), mandou suas composições, e, um dia depois do término do julgamento contra si por abusos, o cantor gravou uma música que o integrante da família real queria transformar em um single para ajudar as vítimas do tsunami de 2004.

Thanki prometeu que o júri teria oportunidade de escutar a gravação, que, segundo disse, "mostra a qualidade das letras do xeque Abdullah e da voz do senhor Jackson".

Os dois tinham "uma relação pessoal estreita" e inclusive falaram sobre a possibilidade de o astro viver em Barein, "para continuar com a colaboração musical".

O xeque tinha planos para relançar a carreira de Jackson através de sua empresa, explicou o advogado.

Thanki disse que Khalifa começou a emprestar dinheiro ao cantor em 2005, "quando se tornou aparente que Jackson estava em graves dificuldades financeiras".

Aparentemente, o cantor pediu US$ 35 mil a Khalifa através de um ajudante para pagar as contas do antigo rancho de Neverland.

Um mês depois, em abril de 2005, o cantor pediu, de novo através de um ajudante, US$ 1 milhão.

"O xeque Abdullah fez muitos mais pagamentos em seu nome (o de Jackson) ou no de outras pessoas", incluindo um de US$ 2,2 milhões para cobrir os custos do processo por abusos, disse Thanki.

Durante o julgamento em Londres, que deve durar 12 dias, o cantor deverá prestar depoimento por videoconferência em Los Angeles, assinalou a "PA". EFE jm/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG