Filho do chefe das tropas holandesas no Afeganistão morre em atentado

O filho do novo comandante em chefe holandês no Afeganistão morreu em um atentado com bomba no sul do país na sexta-feira, informaram responsáveis militares rebeldes, um dia após um ataque suicida que matou 25 pessoas.

AFP |

Fontes talibãs reivindicaram a responsabilidade pelo ataque que matou o tenente Dennis van Uhm, filho do general Peter van Uhm, cometido em uma estrada, e asseguraram que se tratava de uma represália pelo documentário anti-islâmico feito por um deputado holandês.

O general van Uhm foi nomeado comandante em chefe das forças armadas holandesas na quinta-feira.

Quatro soldados holandeses voltavam de uma missão de reconhecimento quando uma bomba explodiu perto do carro onde estava, na província de Uruzgan (sul), explicou o porta-voz do ministério da Defesa, Freek Meulman.

Dois dos militares, de 23 e 22 anos, faleceram, Outros dois, de 20 e 25 anos, ficaram feridos, um deles estável e outro em está em estado grave.

"Sabíamos que o filho do chefe militar estava no veículo", assegurou Yusuf Ahmadi à AFP, que previamente havia difundido um comunicado em que não mencionava esse fato.

O deputado populista holandês Geert Wilders gravou um polêmico documentário em que acusa o islã de ser uma religião violenta, e apesar das ameaças, o divulgou na internet.

"Esse ataque faz parte de nossa operação contra os holandeses", disse Ahmadi, apesar deste porta-voz talibã já ter feito declarações consideradas exageradas anteriormente.

burs-sak/fb

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG