Filho de Zelaya diz que nunca pensou em pedir a seu pai que não voltasse

O filho do presidente deposto Manuel Zelaya admitiu que teme pelo pai, refugiado na embaixada do Brasil em Tegucigalpa, mas disse que nunca pensou em pedir a ele não voltar para Honduras.

AFP |

"Nunca nos passou pela cabeça pedir a ele para que não voltasse", declarou Hector Zelaya a jornalistas em Nova York, para onde viajou junto com a comitiva que representa seu pai na Assembleia Geral da ONU.

"Quando meu pai chegou à presidência, fomos obrigados a entender que ele tinha deixado de ser exclusivamente um membro de nossa família para se tornar uma parte do povo hondurenho", disse o filho do presidente, derrubado há quase três meses por um golpe de Estado.

"Sempre o apoiamos", afirmou.

Hector Zelaya ainda alegou que foi obrigado a sair de Honduras há mais de um mês, por ter recebido ameaças de morte dirigidas contra ele, sua esposa e seu filho.

Ele se declarou "muito preocupado" com o cerco da embaixada do Brasil pela polícia, algo que, segundo ele, "só se vê em filmes".

"Meu pai e minha mãe (que também está na embaixada) estão sofrendo uma guerra psicológica e emocional", afirmou.

du/yw

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG