Filho de Sarkozy desiste de concorrer a cargo na França

Jean Sarkozy, filho do presidente francês, Nicolas Sarkozy, desistiu nesta quinta-feira de concorrer à direção do órgão que administra o bairro empresarial de La Défense, no oeste de Paris, uma das áreas mais ricas da França. A candidatura de Jean, de 23 anos, gerou criticas a Nicolas Sarkozy, que foi acusado de nepotismo.

BBC Brasil |

Jean afirmou que os críticos conduziram uma campanha de "manipulação e desinformação" sobre ele e que gostaria de evitar uma "vitória manchada" ou qualquer "insinuação de favoritismo" na disputa pelo cargo em La Défense.

O porta-voz do partido socialista, de oposição, Benoit Hamon, disse que a decisão do filho de Sarkozy mostrou que o "presidente da República recuou perante a força da indignação de uma imensa maioria de franceses".

Críticas
Uma petição na internet contra a candidatura de Jean Sarkozy havia reunido mais de 43 mil assinaturas.

Os críticos afirmam que o filho de Sarkozy não tem nenhuma experiência profissional nem legitimidade para o cargo, que já foi ocupado por seu pai entre 2005 e 2006.

"Depois que me lancei na política, sou sempre objeto de críticas. Qualquer coisa que faça ou diga, serei criticado", disse Jean Sarkozy ao jornal Le Parisien
O filho do presidente iniciou sua trajetória política no ano passado, quando foi eleito vereador. Em junho deste ano, ele se tornou presidente do partido UMP, do governo, na assembleia da região de Hauts-de-Seine, no centro-norte do país, onde fica a cidade de Nanterre.

É justamente o fato de ser um político desse distrito, o mesmo onde o seu pai iniciou sua carreira, que permitiu a Jean Sarkozy ser indicado dirigir o órgão que administra o bairro empresarial de La Défense.

Jean Sarkozy também se tornou motivo de piada na internet. Milhares de internautas ironizaram, em blogs e sites de relacionamento como Twitter e Facebook, sua indicação para o cargo.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG